Grupo protesta contra PEC-55 no Recife

Movimentos sindicais, trabalhadores e estudantes realizam caminhada pelas ruas da cidade

Prédio do Ministério Público de Pernambuco (MPPE)Prédio do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) - Foto: Reprodução/MPPE

Diversos movimentos sindicais, trabalhadores e estudantes protestam nas ruas do Recife, sexta-feira (25), contra a PEC-55 (antiga PEC-241), proposta que pretende congelar os gastos da união pelos próximos 20 anos. Eles se concentraram na Praça do Derby e seguiram em caminhada pela avenida Conde da Boa Vista. O ato foi encerrado por volta das 19h30 na Praça da Independência.

Leia mais
Após protestos em vários trechos, tráfego de veículos na BR-232 é liberado


De acordo com o presidente da CUT, Carlos Veras, a mobilização é mais uma tentativa de barrar a PEC-55. "Desde a manhã de hoje estamos com paralisações e atividades, greves e atividades intensificadas em todo o estado contra a PEC 56, que congela os investimentos em saúde, educação e seguridade social por 20 anos. Estamos aqui contra a reforma da previdência, contra a reforma trabalhista e a do ensino médio propostas deste governo ilegitimo", disse.

Na próxima quarta-feira (29), dia da votação da PEC no Senado, representantes dos movimentos sindicais pretendem ir ate Brasília para protestar contra a aprovação da medida.

Os manifestantes gritam palavras de ordem como "Fora Temer", "Para a vida melhorar temos que nos organizar. Se o povo se unir Michel Temer vai cair, vai cair". Ainda segundo Carlos Veras, o movimento de hoje pode impulsionar uma greve geral. "A iniciativa mostra que a classe não está satisfeita e que os patrões possam enxergar que se não cumprir com o que é nosso por direito, poderemos decretar sim greve geral."

Veja também

Biden e Trump cortejam eleitores no Meio Oeste a quatro dias das eleições
EUA

Biden e Trump cortejam eleitores no Meio Oeste a quatro dias das eleições

França anuncia detenção de terceiro indivíduo após ataque com faca em Nice
Atentado

França anuncia detenção de 3ª pessoa após ataque com faca