Grupo roubava água da Adutora do Prata para vender em Caruaru

Três pessoas foram presas na operação Iguarapé, da Polícia Civil

Osvino Cordeiro Cruz ("Vinva"), Pedro de Alcantara de Sá Filho ("Canto") e José Ari Dantas da SilvaOsvino Cordeiro Cruz ("Vinva"), Pedro de Alcantara de Sá Filho ("Canto") e José Ari Dantas da Silva - Foto: Divulgação/Polícia Civil

Seis pessoas foram presas na manhã desta sexta-feira (5) no Agreste de Pernambuco suspeitas de desviar água da Adutora do Prata. De acordo como o chefe da Polícia Civil, Joselito Kehrle do Amaral, o grupo mantinha 18 pontos de desvio de água. O bando roubava a água para depois comercializá-la em carros-pipa.

“Apesar de todo o esforço do Governo do Estado para inauguração da Adutora do Prata, a população de Caruaru, sem saber, sofria com desabastecimento. Eles se capitalizavam com a venda de carro-pipa”, explicou Joselito Kehrle. A operação foi denominada Iguarapé, em referência ao rio, que tem varias ramificações ao longo do seu percurso.

O alvo principal foi o proprietário de uma loja de informática em Caruaru, Wilson Veloso. Além dele, cinco outros foram capturados em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e munições e furto qualificado de água. Estão foragidos: Josias Artur dos santos e João Macena de Lima.

Segundo a Polícia Civil, em coletiva à imprensa, foram cumpridos  também dezoito mandados de busca e apreensão domiciliar. De acordo com Joselito Kehrle, o crime causava o desabastecimento de grande parte da população de Caruaru e adjacências.

Ainda segundo o chefe da Polícia Civil, as investigações começaram assim que a Compesa acionou a Polícia no final do ano passado. As diligências apuraram a comercialização de água furtada das tubulações da adutora do Prata, comercializada em caminhões-pipa e vendida a custos exorbitantes, em virtude do grande período de estiagem por que passa o Agreste.

“A ação era até desumana. Ao mesmo tempo que tiravam água da população, eles se capitalizavam vendendo por meio de carros pipas, chegando a cobrar R$ 150 ou mais por um carro-pipa”, contou, estarrecido. “Assim que a adutora fechava suas comportas, eles abriam a tubulação principal com maçarico, faziam derivações com canos de mesmo calibre. evitando que a água chegasse devido à pouca pressão", explicou. 

Os envolvidos vão responder por furto qualificado também poderão responder por formação de quadrilha. Os peritos criminais realizam a conclusão dos trabalhos e, depois disso, a Compesa deverá realizar consertos na área atingida. “Acreditamos que, com isso, a população de Caruaru volte a ter água nas torneiras”, afirmou Joselito Kehle.

Veja também

Depois de anúncio de Pazuello, governadores confirmam início da vacinação nesta segunda
Imunização

Depois de anúncio de Pazuello, governadores confirmam início da vacinação nesta segunda

Conheça os Bidens, a nova 'primeira família' dos Estados Unidos
Presidente dos EUA

Conheça os Bidens, a nova 'primeira família' dos Estados Unidos