Haddad afirma que Justiça coloca 'panos quentes' em investigação sobre Bolsonaro

Para Haddad, o Judiciário errou ao não autorizar busca e apreensão nas empresas que teriam participado dos disparos em massa de mensagens

Na avaliação de Haddad, o Judiciário errou ao não autorizar busca e apreensão nas empresas que teriam participado dos disparos em massa de mensagensNa avaliação de Haddad, o Judiciário errou ao não autorizar busca e apreensão nas empresas que teriam participado dos disparos em massa de mensagens - Foto: Evaristo Sá/AFP

O candidato a presidente Fernando Haddad (PT) afirmou neste sábado (20), em Juazeiro do Norte (CE), que a Justiça Eleitoral está colocando "panos quentes" na investigação sobre o financiamento de empresas para o disparo de mensagens antipetistas pelo Whatsaap em favor do candidato Bolsonaro.

O caso foi revelado pela Folha de S.Paulo e motivou a abertura de investigação no Tribunal Superior Eleitoral e na Polícia Federal. Na avaliação de Haddad, o Judiciário errou ao não autorizar busca e apreensão nas empresas que teriam participado dos disparos em massa de mensagens.

Leia também:
Caminhada pró-Haddad reúne eleitores no Centro do Recife
Haddad pede que simpatizantes multipliquem presença nas redes sociais
Haddad apresenta novo programa de governo
Bolsonaro e Haddad divergem sobre direitos humanos; confira as diferenças
Grupos de WhatsApp pró-Haddad proliferam. PT desconfia de armadilha


"A prática de caixa dois pelo meu adversário deveria ser repudiada por todo o país. Eu lamento muito a Justiça não ter autorizado a busca e apreensão, porque com a busca e apreensão nestas empresas de disparo automático, nós íamos achar os computadores e os contratantes", afirmou.

O petista voltou a chamar Bolsonaro de "soldadinho de araque" e afirmou que seu adversário quer receber da população um cheque em branco para ser Presidente da República. "Ele não tem proposta, não tem programa. Há tempo suficiente para a gente virar essa eleição e derrotar o que ele representa: tortura, ditadura, cultura do estupro, tudo de ruim", afirmou Haddad.

O petista participou do ato em Juazeiro do Norte ao lado dos governadores Camilo Santana (CE), Ricardo Coutinho (PB), Wellington Dias (PI) e Paulo Câmara (PE).
De Juazeiro do Norte o candidato petista seguiu para o município de Crato, também no Ceará, onde participará de ato político.

Veja também

Municípios de Pernambuco devem ter acesso às doses da CoronaVac nesta terça (19)
Covid-19

Municípios de Pernambuco devem ter acesso às doses da CoronaVac nesta terça (19)

Avião pequeno faz pouso de emergência em Tamandaré
Litoral Sul

Avião pequeno faz pouso de emergência em Tamandaré