Hoje é primeiro dia útil com tarifa de táxi 7,87% mais cara

Desde o último domingo (1), o valor da tarifa foi aumentado em 7,87%, com base na variação do IPCA

A Lei do Racismo compreende a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacionalA Lei do Racismo compreende a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional - Foto: Divulgação

 

Os usuários de táxi vão pagar mais caro pelo serviço em 2017. Desde o último domingo (1), o valor da tarifa foi aumentado em 7,87%, com base na variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Agora, a bandeirada passa de R$ 4,75 para R$ 5,12. O quilômetro também sobe: de R$ 2,31 para R$ 2,49 na bandeira um, e de R$ 2,79 para R$ 3,01 na bandeira dois.

Solicitado pelo Sindicato de Taxistas de Pernambuco (Sinditaxi-PE) e aprovado pelo Conselho Municipal de Trânsito e Transporte do Recife (CMTT/Recife), esse acréscimo chega em um momento em que a categoria enfrenta a concorrência de aplicativos como o Uber. Exatamente por esse motivo, o novo preço foi recebido com ressalvas por motoristas e também pelo público.
Taxista há vinte anos, Astrogildo da Silva acredita que sua categoria não vai ter benefício algum com o aumento. “Só vai ser bom para o dono do carro”, afirmou, acrescentando que o valor pode afugentar ainda mais um público que já vem trocando os táxis por outros serviços similares.

Outro que pensa de forma semelhante é Robson Silva, que dirige profissionalmente há três anos. Ele quer ver o Uber regulamentado para que, aí sim, a subida da tarifa seja discutida. “Eu sou contra o reajuste até que seja resolvida essa situação do Uber. Vai afastar ainda mais a população”, opinou.

Corroborando a tese dos dois taxistas, o conferente Diogo Nascimento vê o aumento no preço como algo que vai distanciá-lo ainda mais do serviço. “Se antes já estava caro, agora é que vai complicar mais ainda”, afirmou, revelando também ser um dos que tem dado preferência ao Uber por razões econômicas.

 

Veja também

Dificuldade de rastreamento afeta metade do arsenal de armas no Brasil
ARMAS

Dificuldade de rastreamento afeta metade do arsenal de armas no Brasil

Hyundai e Petz fazem parceria para incentivar adoção responsável de animais
Folha Pet

Hyundai e Petz fazem parceria para incentivar adoção responsável de animais