Homem que matou e ocultou corpo de ex é condenado a 20 anos de prisão

Crime ocorreu em 2011 e o julgamento foi concluído nesta quarta-feira

Submersão Submersão  - Foto: Internet / Reprodução

O homem acusado de matar e ocultar o corpo da ex-companheira, em 2011, foi condenado nesta quarta-feira (5) a 20 anos de prisão. Edelvandro José de Oliveira, conhecido como Ninho do Lava Jato, já tinha confessado o crime. Ele matou a mulher com um tiro na cabeça.

O julgamento aconteceu no Fórum Desembargador Henrique Capitulino, em Prazeres, Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. Nesta quarta-feira, foi feito o interrogatório do réu e o debate entre defesa e acusação. Em seguida, a juíza Maria da Conceição Godoi proferiu a sentença.

Edelvandro foi condenado por homicídio qualificado, por utilizar recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Ele vai cumprir a pena em regime fechado. 

O caso

Em 16 de janeiro de 2011, quando o caso começou a ser investigado a partir do desaparecimento da vítima, Edelvandro chegou a fazer o registro de que a ex-companheira teria sumido e pedir para que a polícia investigasse.

Após provas serem coletadas e testemunhas ouvidas, Edelvandro passou a ser considerado suspeito e terminou confessando ter matado e escondido o corpo da vítima debaixo da cama do casal. Ele foi preso no dia 23 de maio de 2011, mas solto dois anos depois.

Veja também

Rio não terá desfile de blocos de rua no carnaval de 2021
carnaval

Rio não terá desfile de blocos de rua no carnaval de 2021

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França, informa Itamaraty
internacional

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França