reino unido

Hospital britânico admite ter amputado membros de seis pessoas por engano

Levantamento mostra que outros locais de saúde também removeram membros de pacientes por negligência médica

CirurgiaCirurgia - Foto: Freepik

Os Hospitais Escolares de York e Scarborough NHS Foundation Trust confirmaram que seis pacientes tiveram membros amputados devido a erros médicos durante um período de três anos – o número mais elevado admitido por qualquer outro da rede de confiança do serviço nacional de saúde do país.

O trust realizou quatro das amputações em 2020 e mais duas em 2021, todos resultados de negligência médica. Eles, entretanto, não foram os únicos. Os pedidos, apresentados pela Accident Claims, revelaram que outros hospitais em todo o Reino Unido realizaram erradamente amputações que mudaram a vida dos seus pacientes nos últimos três anos.

Estes tipos de incidentes são referidos como “eventos que nunca ocorrem” pelo NHS e definidos como “incidentes graves e amplamente evitáveis de segurança do paciente que não deveriam ocorrer se os prestadores de cuidados de saúde tivessem implementado as orientações nacionais existentes ou recomendações de segurança”.

Outros cinco casos de amputações devido a negligência médica foram confirmados pela Medway NHS Foundation Trust em Kent. Uma amputação foi realizada em 2021, outras três em 2022 e outra em 2023.

“Perder um membro muda vidas e pode ser devastador para os pacientes e suas famílias. Para além do impacto emocional óbvio, as lesões podem causar um impacto financeiro maior do que muitas famílias podem suportar, especialmente na atual crise do custo de vida, quando muitos já estão a lutar para sobreviver”, afirma Nick Banks, chefe de negligência clínica da JF Law e proprietária da marca Accident Claims.

Veja também

Homem é preso por atear fogo e matar companheira na Zona Norte do Recife
Bomba do Hemetério

Homem é preso por atear fogo e matar companheira na Zona Norte do Recife

Trump "quer levar os EUA de volta a 1800" no tema do aborto, diz Harris
Trump

Trump "quer levar os EUA de volta a 1800" no tema do aborto, diz Harris

Newsletter