PERNAMBUCO

Hospital de referência à Covid-19 em Goiana é desativado; ocupação de leitos segue abaixo dos 60%

UPAE GoianaUPAE Goiana - Foto: Aluisio Moreira / SEI

O Hospital de Referência à Covid-19 – Unidade Goiana, que funcionava na Unidade Pernambucana de Atenção Especializada (Upae) do município, na Zona da Mata Norte do Estado, encerrou suas atividades de caráter hospitalar nesta segunda-feira (26).

A desmobilização de leitos para casos específicos do novo coronavírus se mantém em Pernambuco, segundo o Governo do Estado, devido à estabilização da ocupação média de leitos, que segue abaixo de 60% desde maio. Pernambuco já registrou 93% de ocupação média dos leitos.

Apesar da diminuição de casos e mortes pela Covid-19, é necessário lembrar que Pernambuco ainda tem transmissão comunitária do vírus e que apenas cuidados de higiene e respeito ao distanciamento social podem garantir a continuidade de queda nos números da Covid-19.
 

A unidade desativada para exclusividade de casos da Covid-19 em Goiana voltará a funcionar dentro do seu perfil original, com consultas ambulatoriais especializadas.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) já realiza os trâmites para selecionar a organização social que irá gerir o equipamento, beneficiando a assistência às doenças crônicas dos moradores das dez cidades que compõem a XII Gerência Regional de Saúde (Geres).

A Upae de Goiana foi construída e equipada pelo Grupo Fiat-Chrysler Automobiles (FCA). Com a desmobilização dos leitos hospitalares, parte dos equipamentos, que não será usada no serviço ambulatorial, será realocada para a outra unidade de saúde que continuará prestando assistência aos pacientes acometidos pelo novo coronavírus.  Na região, o atendimento continuará sendo feito pelo Hospital Belarmino Correia, em Goiana.

Entre a metade de maio e o início de junho, o Estado registrou ocupação média máxima de 93% nos leitos destinados ao tratamento da Covid-19. Nessa segunda-feira (26), das 790 vagas de terapia intensiva abertas para casos mais graves, 72% estão ocupadas. A maior ocupação de UTI registrada foi de 99%, nos últimos dias de abril, quando Pernambuco contava com 312 vagas de terapia intensiva. Já em relação aos leitos de enfermaria, voltados para casos moderados e leves, dos 933 leitos disponíveis atualmente, menos da metade (45%) está ocupado. 

Os hospitais da rede pública estão funcionando com internação inferior aos meses anteriores da pandemia segundo o Governo de Pernambuco. O Hospital Getúlio Vargas (HGV) está com 60% dos leitos de UTI ocupados, enquanto apenas 20% dos leitos de enfermaria estão preenchidos. O Hospital de Referência Unidade Boa Viagem Covid-19, antigo Alfa, tem 74% de ocupação dos leitos de UTI e 80% dos leitos de enfermaria ocupados.

Ainda no Recife, no Real Hospital Português (RHP), um dos serviços privados considerado referência no tratamento da Covid-19 e que tem contratualização com o Governo de Pernambuco, dos 40 leitos disponíveis para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), 28 estão ocupados.

Já o Hospital Dom Helder Câmara, no Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana, tem ocupação de 75% das vagas de terapia intensiva e 80% dos leitos de enfermaria.

Em Caruaru, no Agreste, o Hospital Mestre Vitalino (HMV) está com ocupação de UTI em 70%, enquanto os leitos de enfermaria têm ocupação de 60%. 

“O Governo de Pernambuco continua monitorando, diariamente, os indicadores da Covid-19 e vamos permanecer com o máximo de transparência para levar a informação real e verdadeira para a população. Precisamos reforçar que os próximos passos dependem da atitude de cada um de nós porque o vírus continua circulando. Por isso, para não termos mais mortes e uma volta da ocupação hospitalar, cada um precisa fazer sua parte, usando máscara, lavando as mãos com frequência e praticando o distanciamento social, evitando aglomerações”, salientou o secretário estadual de Saúde, André Longo.

O secretário ainda informou que a ocupação de leitos no Estado, mesmo com a desmobilização de leitos exclusivos para a Covid-19, se mantém abaixo de 60%. "Com relação aos dados da rede hospitalar, mesmo com a desmobilização dos leitos dedicados para a Covid-19, realizada ao longo dos últimos meses, as taxas de ocupação continuam estáveis e em níveis considerados baixos", ressaltou. Atualmente, a rede pública de saúde conta com 1.723 leitos voltados exclusivamente para pacientes confirmados ou suspeitos da Covid-19, sendo 790 de UTI. 

Veja também

Pernambuco mantém menor índice de mortalidade infantil do Nordeste
População

Pernambuco mantém menor índice de mortalidade infantil do Nordeste

Repórter chora ao vivo no Bom Dia SP durante cobertura da tragédia em Taguaí
Tragédia

Repórter chora ao vivo no Bom Dia SP durante cobertura da tragédia em Taguaí