Humorista inglês faz quadro dedicado às eleições do Brasil com perfil de Bolsonaro

John mostra diversas fotos do candidato fazendo gestos de arma nas mãos e reproduz vídeos de entrevistas em que Bolsonaro apoia um regime ditatorial e a tortura.

John OliverJohn Oliver - Foto: Reprodução / Youtube

É costume do ator e comediante britânico John Oliver fazer quadros especiais em seu programa "Last Week Tonight" (HBO) sobre as eleições brasileiras. Se o motivo das piadas, nos anos anteriores, eram os candidatos a deputado fantasiados ou celebridades excêntricas, neste ano, o humorista foi mais além e fez uma análise dos candidatos a Presidência.

No último domingo (7) no fim da apuração das urnas no Brasil, Oliver tentou explicar todo o contexto que envolve as eleições brasileiras. Ele fala sobre a violência desenfreada em todo o país, citando dados de que 30% das pessoas que vivem no Rio já passaram no meio de tiroteio. "Isso deveria fazer parte da previsão do tempo da cidade: vistam seus coletes à prova de bala, pois hoje devem chover disparos", ironizou o ator.

O humorista ainda comentou a operação Lava-Jato para dar a dimensão do problema da corrupção na política. Contou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que seria o candidato mais votado no país, está preso e fez piada com o vídeo de uma campanha do partido dizendo que é a mesma coisa votar em Fernando Haddad (PT) ou Lula.

Leia também:
Somente 4% dos deputados e senadores eleitos são negros; assunto repercute no Twitter
Resposta de Bolsonaro é do nível do candidato, diz Haddad sobre ser chamado de 'canalha'


'Trump Brasileiro'
Após essa breve passagem pelo histórico político brasileiro, o humorista faz um longo perfil do candidato Jair Bolsonaro (PSL), e o apresentou dizendo: "A melhor coisa que você pode dizer sobre Bolsonaro é que ele não foi denunciado por um escândalo de corrupção, ainda. Infelizmente essa é, literalmente, a única coisa boa que você pode dizer sobre ele, pois ele é um ser humano terrível".

John mostra diversas fotos do candidato fazendo gestos de arma nas mãos e reproduz vídeos de entrevistas em que Bolsonaro apoia um regime ditatorial e a tortura. O ator mostra páginas de jornais estrangeiros que o consideram o "Trump Brasileiro", por ter postura semelhante ao presidente americano Donald Trump.

O humorista lembra ainda quando a atriz Ellen Paige, 31, fez uma entrevista com o candidato em que se revela homossexual. No vídeo da série "Gaycation" (2017), Bolsonaro só responde a atriz que ela é muito bonita, e que ele "assoviaria a ela se a encontrasse na rua".

Após narrar toda a carreira de Bolsonaro, o ator finaliza com um pedido. "Brasileiros, sei que vocês estão desiludidos com todos os políticos e que nenhum dos candidatos os inspiram, mas, por favor, qualquer um deles é melhor que o Bolsonaro. A nova versão do Lula [em referência a Haddad] ou o Homem-Aranha", disse o comediante.

Veja também

"Tomem a vacina que a esperança não deixa de acabar", disse a primeira vacinada em Pernambuco
Coronavírus

"Tomem a vacina que a esperança não deixa de acabar", disse a primeira vacinada em Pernambuco

Momento histórico: vacina contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez em Pernambuco
Coronavírus

Momento histórico: vacina contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez em Pernambuco