Biden

Hunter Biden depõe em investigação de impeachment contra seu pai

Ao ser interrogado nesta quarta-feira sobre uma série de transações que os republicanos afirmam envolver seu pai de forma direta em irregularidades

Joel Biden, presidente dos Estados UnidosJoel Biden, presidente dos Estados Unidos - Foto: Saul Loeb/AFP

Hunter Biden, filho do presidente dos Estados Unidos Joe Biden, prestou depoimento nesta quarta-feira (28), a portas fechadas, para um painel de legisladores republicanos que realiza uma investigação com vistas ao impeachment do mandatário, acusado de mentir sobre os negócios de sua família.

Em ano eleitoral, os republicanos tentam infligir dano ao presidente democrata antes do pleito de novembro, no qual tudo indica que haverá uma revanche com Donald Trump, cercado de escândalos e problemas judiciais.

Sem oferecer qualquer evidência concreta, os republicanos acusam Biden de usar sua influência como vice-presidente durante o governo de Barack Obama (2009-2017) para ajudar Hunter em seus negócios comerciais com China e Ucrânia.

A investigação de impeachment - classificada pelos democratas como uma manobra política para prejudicar Biden na corrida eleitoral - tem poucas chances de produzir acusações criminais reais contra o presidente.

Ao ser interrogado nesta quarta-feira sobre uma série de transações que os republicanos afirmam envolver seu pai de forma direta em irregularidades, Hunter Biden, de 54 anos, negou categoricamente qualquer delito.

"Não envolvi meu pai em meus negócios", disse Hunter em seu comparecimento perante o Comitê Judicial e de Supervisão da Câmara.

"Não enquanto eu era advogado, nem em meus investimentos ou transações nacionais ou internacionais, não como membro do conselho, e não como artista. Nunca", acrescentou.

Os republicanos atacaram por muito tempo o caçula do casal Biden, que afirma ter superado sua dependência de crack, sobre seus supostos negócios obscuros e tentaram vincular tais afirmações com o atual presidente.

Mas a investigação de impeachment encontrou dificuldades este mês, quando um ex-informante do FBI, Alexander Smirnov, foi preso e indiciado por mentir e inventar acusações falsas de corrupção contra Hunter.

Smirnov afirmou que cada um dos Biden recebeu uma propina de 5 milhões de dólares (cerca de R$ 25 milhões) exigidos por Hunter Biden à empresa ucraniana de energia Burisma, de cujo conselho ele fazia parte, para protegê-la de uma investigação quando seu pai era vice-presidente.

Os promotores federais afirmam que as declarações de Smirnov foram fabricadas.

A investigação contra Hunter não trouxe nada que dê base às afirmações dos republicanos contra sua família.

Contudo, resultou em acusações criminais contra Hunter por evasão fiscal e por mentir sobre seu uso de drogas quando solicitou uma permissão de porte de armas.

Veja também

Ministro do Gabinete de guerra de Israel pede eleições antecipadas, e premier reage
guerra no oriente médio

Ministro do Gabinete de guerra de Israel pede eleições antecipadas, e premier reage

Homem de 24 anos leva choque elétrico ao manusear antena em Ipojuca e é internado em estado grave
HOSPITAL DA RESTAURAÇÃO

Homem de 24 anos leva choque elétrico ao manusear antena em Ipojuca e é internado em estado grave

Newsletter