furacão

Idalia toca o solo na Flórida como furacão de categoria 3

Biden, assinou na segunda-feira (28) uma declaração de emergência para a Flórida, o que garante ajuda federal para enfrentar a passagem de Idalia

Furacão IdaliaFuracão Idalia - Foto: Handout / NOAA / AFP

Idalia tocou somente nesta quarta-feira (30) na costa noroeste da Flórida como um furacão de categoria 3, anunciou o Centro Nacional de Furacões (HNC) dos Estados Unidos.

O furacão Idalia, extremamente perigoso, tocou o solo na região de Bing Bend, Flórida", anunciou o NHC na rede social X (ex-Twitter). A mensagem afirma que o ciclone tropical está provocando "tempestades catastróficas e ventos prejudiciais" de até 195 km/h, com rajadas ainda mais fortes.

Antes de tocar o solo na Flórida, Idalia foi classificada como furacão de categoria 4 ao avançar pelo Golfo do México, antes de ser rebaixada para magnitude 3 na escala Saffir-Simpson (que vai até 5), como geralmente acontece quando os fenômenos ciclônicos avançam por terra firme.

As autoridades ambientais, no entanto, alertaram em um comunicado que Idalia continua sendo uma furacão perigosa em sua trajetória rumo ao norte, na direção da Geórgia e da Carolina do Sul.

Desde a noite de segunda-feira, Idalia também afetou Cuba, onde foram registradas inundações, cortes de energia elétrica e operações para retirada de moradores.

As tempestades ciclônicas, que provocam cheias de 3 a 5 metros em algumas áreas costeiras, podem provocar inundações desastrosas, anunciadas pelo NHC.

“Poucas pessoas podem sobreviver no caminho de uma grande tempestade ciclônica, e esta tempestade será mortal se não nos salvarmos do perigo e levarmos a sério”, disse a diretora da Agência Federal de Gestão de Emergências dos Estados Unidos (FEMA), Deanne Criswell .

Em Steinhatchee, uma pequena cidade de mil habitantes no noroeste da Flórida, bolsas de pessoas foram preparadas desde a noite de terça-feira para procurar abrigos.

Robert Bryant preparou os últimos detalhes com seus pais, seus dois gatos e seu cachorro. “Estamos na água, assim seremos os mais afetados”, disse o estudante de 18 anos, cuja casa fica na foz de um rio.

Ron DeSantis, governador da Flórida e pré-candidato republicano à presidência, fez um apelo àqueles que se encontram nas zonas de evacuação ao longo da costa do Golfo do México a partir de "imediatamente".

DeSantis afirmou que Idalia provavelmente será o furacão mais forte para atingir uma região em mais de um século.

Ajuda federal
O presidente americano, Joe Biden, assinou na segunda-feira (28) uma declaração de emergência para a Flórida, o que garante ajuda federal para enfrentar a passagem de Idalia.

“Conversei com o governador à noite, estamos oferecendo tudo o que é necessário. Estamos em contato constante”, declarou Biden na terça-feira sobre DeSantis que, assim como ele, deseja disputar a presidência em 2024.

O aeroporto internacional de Tampa fechou e os voos foram interrompidos na costa leste dos Estados Unidos, vítima de outro furacão, Franklin, procedente do Atlântico.

As fortes chuvas provocadas pelo furacão Idália no oeste de Cuba provocaram inundações em várias localidades e mais de 200 mil moradores sem energia elétrica.

Uma das áreas mais afetadas foi a zona de produção de tabaco de Pinar del Río. A região ainda se recupera da passagem do furacão Ian, que provocou duas mortes em setembro do ano passado.

As chuvas, com rajadas de vento que superaram 110 km/h, danificaram a produção de tabaco em Vueltabajo.

Quase 150 pessoas morreram no ano passado quando o furacão Ian atingiu a costa oeste da Flórida como uma tempestade devastadora de categoria 4: pontes desabaram, prédios foram destruídos e os danos superaram 100 bilhões de dólares.

Os cientistas alertam que as tempestades se tornarão cada vez mais potentes com o aumento da temperatura no planeta devido às mudanças climáticas.

Veja também

Meningite: conheça as causas, os sintomas e as formas de evitar a doença
Prevenção

Meningite: conheça as causas, os sintomas e as formas de evitar a doença

TikTok: app vai ser banido nos EUA? Entenda o que acontece agora com a rede social
Rede Social

TikTok: app vai ser banido nos EUA? Entenda o que acontece agora com a rede social

Newsletter