Igreja do Bonfim, em Olinda, será reaberta ; veja fotos

Templo olindense foi totalmente restaurado e será entregue no próximo dia 24 durante cerimônia presidida por dom Saburido

A restauradora Weydes Santos está na obra de restruturação da Igreja do Bonfim há 9 meses.  Todas as peção recebem a folha de ouro de 24 quilates A restauradora Weydes Santos está na obra de restruturação da Igreja do Bonfim há 9 meses. Todas as peção recebem a folha de ouro de 24 quilates  - Foto: Brenda Alcântara

Após seis anos fechada, a Igreja do Bonfim, localizada no Sítio Histórico de Olinda, no bairro do Carmo, está prestes a abrir suas portas para os fiéis. O santuário, que tinha sérios problemas estruturais com risco do teto desabar, foi totalmente restaurado e será entregue no próximo dia 24 de outubro com cerimônia a ser realizada às 15h, na presença do arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, a presidente do Iphan Kátia Bogéa, o prefeito de Olinda Lupércio do Nascimento, entre outras autoridades.

A intervenção custou R$ 2,090 milhões oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas, cujo projeto foi elaborado e aprovado pela Secretaria de Patrimônio e Cultura de Olinda e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “Ainda não temos uma data definida para a realização da missa de inauguração da Igreja do Bonfim. Essa entrega é uma forma de restituir a comunidade, em uma época de contra valores, a cultivar novamente sua espiritualidade. Agora nossa responsabilidade com a conservação aumentou, para não chegarmos a necessidade de outra intervenção como está”, afirmou Padre Rinaldo, integrante da Comissão de Restauros da arquidiocese.

Segundo Diogo Albuquerque, supervisor de obras da PS Engenharia, um dos pontos mais críticos da Igreja do Bonfim foi à recuperação do teto e dos bens integrados como o altar mor e a nave central. “As estruturas de madeira estavam com cupins, havia muitas infiltrações no forro do teto, que cedeu na lateral da Igreja. A cúpula estava repleta de cupins e o coro teve que ser refeito”, explicou. Ele também ressaltou que a maior preocupação da empresa foi manter o espaço a construção original. “No teto do altar fizemos tabicas de madeira trabalhado a mão, a pintura do altar e dos púlpitos é feita com folha de ouro 24 quilates, o piso também é original. O altar da sacristia teve reintegração de 50%”, afirmou o supervisor de obras. O conjunto de imagens dos santos do acervo da Igreja também foram restaurados.

Leia também:
Restauração da Igreja de Nossa Senhora da Graça, em Olinda, é autorizada

Há uma expectativa muito grande dos moradores do entorno da Igreja do Bonfim em receber o templo de volta. As obras deveriam ter sido concluídas em julho deste ano, mas houve um aditivo de três meses por conta de um impasse entre a construtora e a Celpe, devido a realocação de uma rede de alta voltagem que passava do lado da Igreja. “Moro aqui há 20 anos e sempre vinha todos os domingos a missa. Espero que ela seja aberta ao público logo, pelo que vejo do lado de fora ela está ficando muito bonita. Não só eu e minha família, como a comunidade, temos uma ligação afetiva com a Igreja”, afirmou a funcionária pública Elayne Advincula, de 40 anos.

Ansiedade também para quem nunca conheceu o templo antes da reforma. “Estou aqui há três meses e não vejo a hora de poder conhecer a Igreja. O próprio nome já tem um peso muito grande, estou muito animado em poder conhecer mais um pedaço histórico dessa cidade que tanto admiro”, disse o aposentado e proprietário do Morada Bonfim, Dalton de Oliveira.
Ainda no dia 24 de outubro, às 17h30, também será entregue o Adro do mais antigo Convento do Brasil, o de São Francisco, no Sítio Histórico de Olinda. O evento contará com apresentação da Orquestra Sinfônica do Centro de Educação Musical de Olinda (CEMO). O espaço foi requalificado com a reintegração do largo com o cruzeiro e o piso foi todo refeito. Há também uma rampa restaurada com acessibilidade e corrimão. A intervenção, que durou dois anos e quatro meses e custou quase R$ 3,080 milhões, repassados pelo Ministério do Planejamento para o Iphan, envolveu ainda a instalação de equipamentos de iluminação com sistema elétrico embutido, canaletas construídas para melhorar a drenagem do local, colocação de novos balizadores que limitam a área de circulação dos veículos, além da recomposição da fachada do convento. O Iphan também informou que a restauração das simbólicas bicas de Olinda está em fase final de execução.

Mais restauração
As igrejas Matriz de Santo Antônio e Nossa Senhora da Conceição dos Militares, localizadas no bairro de Santo Antônio, área central do Recife, estão em fase de conclusão das obras civis (que abrange a parte hidráulica, elétrica, reparos no telhado e pisos). Ambas estão em execução desde outubro de 2014. A Matriz de Santo Antônio, que possui estilo barroco colonial, datado do século 18, contou com um investimento de R$ 4,6 milhões e deverá ser entregue até novembro. 

O arcebispo de Olinda e Recife Dom Fernando Saburido, irá visitar o espaço no dia 24 de outubro, as 10h. "As obras foram iniciadas em 2014, depois retomadas na metade de 2017. Encontramos a Igreja com muitos problemas de infiltração, trocamos todos os fios expostos e a iluminação, e estamos trabalhando na acessibilidade, com rampas e banheiros adaptados. O piso também foi trocado sendo mais fiel ao original", explicou a engenheira da Pires Giovanetti Guardio, Nathalia Hashizume.

A segunda fase, de restauração dos bens integrados, ainda não tem previsão para ser iniciado porque depende da abertura da licitação. Já a Nossa Senhora da Conceição dos Militares, a previsão é de que toda restruturação seja concluída no final de 2019. A Igreja de São Pedro dos Clérigos, no Recife, também teve a etapa civil finalizada, e já tem aprovado R$ 6 milhões para a recuperação dos bens integrados. Neste caso, a Igreja não será fechada ao público enquanto as obras são realizadas. A previsão é de que o edital seja anunciado também no dia 24 de outubro.

Veja também

"Tomem a vacina que a esperança não deixa de acabar", disse a primeira vacinada em Pernambuco
Coronavírus

"Tomem a vacina que a esperança não deixa de acabar", disse a primeira vacinada em Pernambuco

Momento histórico: vacina contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez em Pernambuco
Coronavírus

Momento histórico: vacina contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez em Pernambuco