Recife

Imóvel cuja laje caiu e matou um homem no Cordeiro será demolido; outros cinco foram interditados

Defesa Civil não localizou responsável, mas havia notificado a obra, que estava irregular, dois dias antes de acidente

Imóvel onde laje desabouImóvel onde laje desabou - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Uma equipe da Secretaria Executiva de Controle Urbano, agentes da Defesa Civil do Recife e da Guarda Municipal estiveram na Rua Catuíra, bairro do Cordeiro, na Zona Oeste da capital pernambucana, na manhã desta quinta (21), vistoriando o local onde uma laje matou um homem no fim da tarde do dia anterior. A área foi isolada ainda na noite da quarta, e os técnicos constataram a necessidade de demolição do imóvel cuja laje, que estava sendo construída de forma irregular, despencou.

Uma empresa especializada está no local para planejar e executar a demolição, que terá início ainda nesta quarta-feira (21). Segundo o engenheiro responsável pela demolição, o prazo para o serviço é de 20 dias. Para evitar o risco de danos aos imóveis vizinhos, que são geminados, não será usado maquinário a derrubada do imóvel será feita manualmente, com a ajuda de uma plataforma de demolição que vai elevar os funcionários e facilitar o serviço.

As famílias desalojadas na rua - localizada perto do limite com o bairro da Torre - foram orientadas sobre a necessidade das interdições e concordaram em se transferir temporariamente para a casa de amigos e parentes. A Defesa Civil concedeu auxílio-funeral para a família da vítima e colchões para quem solicitou.

 

Leia também

• Confira o que abre e o que fecha no feriado de Tiradentes, celebrado nesta quinta (21)

• Operação da Linha Centro do Metrô é retomada, mas volta para casa foi marcada por transtornos

Entenda o caso
Às 17h34 da quarta, o Samu foi chamado e enviou um ambulância ao local para atender um homem de 42 anos, o pela queda de uma laje que desabou em uma construção irregular. A vítima foi identificada por familiares como Marcos Lima. Quando a equipe chegou ao local, o homem já estava morto.
A Secretaria Executiva de Controle Urbano já havia notificado um funcionário da obra na última segunda-feira (18) informando que a obra precisava ser interrompida, mas não localizou o responsável pelo imóvel e pelo serviço, que não contava com laudo técnico de engenheiro ou autorização da gestão municipal. Os fiscais da Prefeitura voltaram na terça-feirta (19) e constataram que a obra não foi interrompida e mais uma vez não localizaram o responsável.

De acordo com a secretária-executiva de Controle urbano, Marta Lima, o fato do imóvel pertencer a uma Zona Especiais de Interesse Social (Zeis) dificulta o trabalho da Prefeitura de localizar os dados do responsável pela obra, pois nessa tipo de residência, os nomes não constam em registros imobiliários. Ela contou que a Prefeitura tentou notificar o dono do imóvel e responsável pela obra, mas que ele fugiu do local após o acidente e não se apresentou até o momento.

Alexandre Lima, 34 anos "A gente disse a ele sobre o risco. E ele queria até fazer mais um pavimento desse para estender roupa, sem consultar engenheiro. Ele não botou nem malha na laje. Com o peso, a laje cedeu. O menino estava embaixo e causou esse acidente. Já foi uma tragédia anunciada. A gente vivia dizendo a ele que fizesse a obra com segurança. Mas a gente não podia impedir ele de fazer", relatou o técnico de elevadores Alexandre Lima, 34 anos, vizinho do imóvel. 

Buscas pelo responsável da obra
Vizinhos da obra informaram que o nome do proprietário. A partir dessa informação, a Secretaria Executiva de Controle Urbano identificou outras duas obras irregulares feitas por esse indivíduo, nos bairros da Torre e Madalena, ambas em processo judicial, considerando que o responsável não respeitou os processos administrativos que haviam sido abertos para regularizar as construções. O processo de embargo da obra estava em andamento e deverá ser concluído nesta sexta-feira.

Com a ajuda da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), a Secretaria de Controle Urbano está empenhada em localizar o dono do imóvel para notificá-lo oficialmente e dar seguimento ao processo administrativo e judicial.

Em nota, a PCPE informou que "registrou, por meio da Equipe de Força Tarefa de Homicídios da Capital, no dia 20 de abril, ocorrência de Morte a Esclarecer e Omissão de Socorro. A vítima, um homem de 43 anos, foi encontrada sem vida após parte de da laje de um imóvel na comunidade Santa Luzia desabar em cima dela. Segundo relatos, a vítima estava trabalhando no local com outras pessoas, incluindo o autor da omissão de socorro, proprietário do lugar, quando o fato aconteceu. O autor teria se evadido após o desabamento. As investigações foram iniciadas e continuam até o esclarecimento do fato".

 

Veja também

Servidor que acusou perseguição de Ibama após caso das girafas importadas recupera cargo na justiça
Rio de Janeiro

Servidor que acusou perseguição de Ibama após caso das girafas importadas recupera cargo na justiça

Pernambuco autoriza vacinação contra a influenza para todos os moradores a partir de seis meses
Saúde

Pernambuco autoriza vacinação contra a influenza para todos os moradores a partir de seis meses