A-A+

Imunologistas do Recife promovem evento de conscientização

Dia da Conscientização das Imunodeficiências Primárias busca tirar dúvidas e conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce

Marco Zero, no Recife AntigoMarco Zero, no Recife Antigo - Foto: Peu Ricardo/Arquivo Folha de Pernambuco

O Marco Zero, no Bairro do Recife, área central da Capital, recebe o Dia da Conscientização das Imunodeficiências Primárias, neste sábado (11). O evento gratuito é promovido pela Associação Brasileira da Alergia e Imunologia (Asbai), a partir das 13h30. Especialistas estarão no local para prestar esclarecimentos, além de organizar outras atividades disponíveis ao longo do dia.

A Imunodeficiência Primária (IDPs) ou Erro Inato da Imunidade é uma doença causada por falhas no sistema imunológico. Quando o indivíduo é submetido a alterações em qualquer setor desse sistema, encontra-se predisposto a ter mais infecções, doenças auto-imunes e mais chance de ter neoplasias. Essas patologias são ainda pouco conhecidas, de maneira que um diagnóstico precoce pode fazer toda a diferença na hora de encaminhar o paciente para o tratamento adequado.

Leia também:
Reajustes de planos de saúde segue sem regulamentação pela ANS
Tecnologia traz a fala de volta para pacientes do HCP

Em parceria com a World PI Week, a Asbai reforça a campanha “Colocar os pacientes com imunodeficiências no centro de seus cuidados”. A médica alergista Almerinda Maria explica que as Imunodeficiências Primárias podem surgir em qualquer fase da vida, mas por se tratar de doenças genéticas, é comum que as manifestações clínicas iniciem durante a infância.

No mundo, a estimativa é que existam atualmente pelo menos 6 milhões de pessoas portadoras de Imunodeficiências Primárias, sendo em sua maioria, casos ainda não diagnosticados, principalmente em países subdesenvolvidos. No Brasil, a estimativa é de 170.000 pessoas com Imunodeficiências Primárias, das quais apenas cerca de 4.000 têm diagnóstico estabelecido.

Em Pernambuco, não há dados precisos, mas no serviço do Hospital das Clínicas da UFPE são acompanhados cerca de 150 pacientes portadores de alguma imunodeficiência primária. No entanto, vários outros pacientes ainda se encontram em investigação por dificuldade de acesso a exames especializados fundamentais para o diagnóstico preciso. “Divulgar estas patologias é fundamental para elevar o número de diagnósticos e assim oferecer melhor qualidade de vida para estes pacientes”, ressalta a médica Almerinda Maria.

Nos Estados Unidos, a Fundação Jeffrey Modell, dedicada a pacientes com IDP, elaborou os dez sinais de alerta para se iniciar uma investigação de IDP, que são:

- Duas ou mais pneumonias no último ano
- Quatro ou mais episódios novos de otite no último ano
- Estomatites de repetição ou monilíase por mais de dois meses
- Abscessos de repetição ou ectima
- Um episódio de infecção sistêmica grave (meningite, osteoartrite, septicemia).
- Infecções intestinais de repetição/diarreia crônica
- Asma grave, doença do colágeno ou doença auto-imune.
- Efeito adverso à vacina do BCG e/ou infecção por micobactéria
- Manifestações clínicas sugestivas de síndrome associada à imunodeficiência
- História familiar de imunodeficiência

Veja também

Google lança nova Central de Segurança, com recurso que promete proteger seus 'nudes'
SEGURANÇA

Google lança nova Central de Segurança, com recurso que promete proteger seus 'nudes'

Tiroteio deixa cinco feridos em base militar dos EUA
EUA

Tiroteio deixa cinco feridos em base militar dos EUA