A-A+

Inca alerta para uso de dispositivos eletrônicos para fumantes

Resolução da Anvisa proibiu comercialização de cigarros eletrônicos

Cigarro EletrônicoCigarro Eletrônico - Foto: Reprodução/ Internet

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) publicou, nesta terça-feira (10), um alerta sobre o uso de dispositivos eletrônicos para fumantes (cigarros eletrônicos), que funcionam com bateria e possuem diferentes formas e mecanismos, contendo inúmeras substâncias tóxicas, na maioria aditivos com sabores de nicotina, droga que causa dependência química.

De acordo com o Inca, os dispositivos eletrônicos também são responsáveis por vários acidentes por explosões das baterias, que provocam queimaduras, perda de partes do corpo e até morte. O instituto alerta ainda que o líquido, contendo nicotina, pode provocar princípios de incêndio em residências e doença pulmonar severa, caso inalado, principalmente por crianças.

Leia também:
Brasil tem três casos de lesões pulmonares relacionadas a cigarro eletrônico
Primeira morte atribuída ao uso do cigarro eletrônico na Bélgica

Estudos científicos demonstram que um jovem começar a fumar cigarros convencionais quadruplica com o uso dos dispositivos eletrônicos.

Resolução Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de 2019 proíbe a comercialização, importação e propaganda de quaisquer dispositivos eletrônicos para fumar. O Inca reafirma sua posição à manutenção da medida tomada pela Agência reguladora de saúde.

Veja também

Homem é atacado por jacaré em lago de Campo Grande (MS)
Centro-oeste

Homem é atacado por jacaré em lago de Campo Grande (MS)

Show de dupla sertaneja é interrompido após palco pegar fogo em SP
Susto

Show de dupla sertaneja é interrompido após palco pegar fogo em SP; assista