Meio Ambiente

Incêndio destrói parte de reserva da Mata Atlântica em Bauru, no interior de SP

O local abriga a última reserva de Mata Atlântica na região

O tamanho da destruição ainda não foi divulgadoO tamanho da destruição ainda não foi divulgado - Foto: Divulgação/ PMESP

Bombeiros, brigadistas e voluntários tentam controlar há mais de 24 horas um incêndio que destrói a Estação Ecológica Sebastião Aleixo, em Bauru (a 329 km de São Paulo). O local abriga a última reserva de Mata Atlântica na região. São 287 hectares ameaçados pelo fogo às margens da rodovia SP-139.

O fogo começou por volta das 14h30 de quarta-feira (16) e o local ainda tem focos de incêndio. O tamanho da destruição ainda não foi divulgado, assim como as causas. Além dos bombeiros, trabalham no local a Polícia Ambiental, Defesa Civil, brigadistas da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e de uma empresa privada, Fundação Florestal, policiais militares e voluntários.

"Triste ver a situação da Estação Ecológica de Bauru, após uma noite de chamas consumindo sua vegetação de Mata Atlântica", disse o zootecnista Luiz Pires, um dos ambientalistas mais conhecidos da região. "É ter a esperança de que parte da fauna tenha conseguido fugir, mas a área é cercada de eucaliptos e pecuária, então não será nada fácil a sobrevivência".

O prefeito de Bauru, Clodoaldo Gazzeta (PSDB), foi até o local na tarde desta quinta acompanhar as ações de combate ao incêndio e gravou um vídeo no local.  "Está todo mundo mobilizado aqui. O fogo pegou grande parte da mata, mas conseguimos fazer o controle dos focos e agora todo o incêndio está sob controle", disse.



Também no interior de São Paulo, a região de Águas da Prata perdeu quase metade do Parque Estadual, área de preservação da Mata Atlântica, para o fogo. Os focos de incêndio na região, próxima à divisa com Minas Gerais, já queimaram cerca de 600 hectares, incluindo o município, onde foram atingidos 20 hectares, além de São João da Boa Vista (500 hectares) e Vargem Grande do Sul (165 hectares).

No Pantanal, ainda com quase metade de setembro pela frente, já foi batido o recorde histórico de queimadas para todo o mês. Até o momento, o bioma já registrou 5.603 queimadas, número quase três vezes acima da média para o mês.
Pelo ritmo diário de registro de fogo, setembro de 2020 será, com folga, o mês com o maior número de queimadas já registrado em toda a história no Pantanal.

Em meio à sequência de queimadas que devastam o Pantanal e de focos de incêndio na Amazônia e no interior de São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quinta, em visita ao interior da Paraíba, que o Brasil está de parabéns no cuidado com o seu meio ambiente.

"O Brasil é o país que mais preserva o meio ambiente, e alguns, não entendem como, é o país que mais sofre ataques vindo de fora, no tocante ao seu meio-ambiente. O Brasil está de parabéns pela maneira como preserva o seu meio-ambiente", disse Bolsonaro.

Veja também

A 8 dias da eleição, Senado dos EUA confirma juíza ultraconservadora para a Suprema Corte
internacional

A 8 dias da eleição, Senado dos EUA confirma juíza ultraconservadora para a Suprema Corte

Brasil atinge 5,4 milhões de casos da Covid-19
boletim

Brasil atinge 5,4 milhões de casos da Covid-19