RACISMO

Influenciadoras suspeitas de racismo recreativo tiveram depoimentos adiados, diz polícia

Mudança atendeu pedido da defesa das mulheres. Dupla divulgou vídeos dando banana e macaco de pelúcia para crianças negras

Influencer grava dando banana e macaco de pelúcia com crianças negrasInfluencer grava dando banana e macaco de pelúcia com crianças negras - Foto: Reprodução

Investigadas pela divulgação de três vídeos com suspeitas de práticas de racismo recreativo via redes sociais, as influenciadoras digitais Kérollen Cunha e Nancy Gonçalves tinham previsão de serem ouvidas nesta terça-feira (6) na Delegacia de Crimes Raciais e de Delitos de Intolerância (Decradi).

Segundo a delegada Rita Salim, da Decradi, um pedido foi feito pela defesa das duas para que os depoimentos fossem adiados. Assim, a polícia deverá agendar uma data, a partir da próxima semana, para que Kérollen e Nancy sejam interrogadas na especializada.

As influenciadoras responderão a pelo menos três inquéritos, caso as acusações sejam confirmadas pela Polícia Civil. Até agora um menino, presenteado com uma banana pela dupla, e a mãe da vítima, já foram ouvidos pela Delegacia de Crimes Raciais e de Delitos de Intolerância (Decradi).

A Decradi começou a investigar as influenciadoras depois que a especialista em Direito antidiscriminatório Fayda Belo denunciou a dupla, revelando que duas crianças teriam sido vítimas de racismo recreativo. A advogada afirma que o vídeo apresenta o chamado “racismo recreativo”, que ocorre quando alguém usa de “discriminação contra pessoas negras com intuito de diversão”.

Nas imagens, Kérollen conversa com um menino negro em uma calçada e questiona se ele gostaria de receber um presente ou R$ 10. Ele opta pelo presente, mas, ao perceber que se tratava de uma banana, responde “só isso?”, afirma que não gostou e deixa o vídeo da influencer. A polícia já sabe que o mesmo menino teria sido abordado em outra oportunidade pela influenciadora.

Já em outro registro, ela aborda uma menina na rua e faz uma proposta similar, oferecendo a opção de a criança escolher entre R$ 5 ou uma caixa. A criança opta pelo “presente”, recebe das mãos da influencer e abre, vendo se tratar de um macaco de pelúcia. Aparentando ter ficado feliz, ela abraça o brinquedo e agradece a influencer.

Um terceiro vídeo mostra uma das influenciadoras pedindo para uma mulher negra escolher entre receber um presente misterioso ou R$ 5. Ela escolhe a primeira alternativa e recebe um pacote. Ao abrir o embrulho, percebe a existência de uma carteira com algo em seu interior. A vítima abre a carteira e verifica que esta tem um banana amassada. Em seguida, uma nota de R$ 5 é entregue à vítima que começa chorar. Pouco depois, uma das influenciadoras abre outro compartimento da mesma carteira e entrega o que seria uma nota de R$ 50. Em seguida, a vítima aparece abraçando a influencer.

Os três casos ocorreram em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio. Os vídeos que circulam nas redes sociais são da influencer Kérollen, que tem um canal no qual publica vídeos com a filha, Nancy. São mais de 1 milhão de seguidores no Instagram e 13 milhões no Tiktok.

Veja também

Mulher denunciada por agredir casal gay em padaria é presa por atropelamento e fuga em São Paulo
POLÍCIA

Mulher denunciada por agredir casal gay em padaria é presa por atropelamento e fuga em São Paulo

Pastor André Valadão diz, em vídeo, que fiéis não devem matricular filhos em faculdades 
Educação e Religião

Pastor André Valadão diz, em vídeo, que fiéis não devem matricular filhos em faculdades 

Newsletter