A-A+

Insistência do nome de Lula causa impaciência e incômodo nos aliados

Contudo, o PT está tendo dificuldades para lidar com impasse causado pela tática política de ter três pessoas numa chapa presidencial - Lula

Virtual candidata a vice,  Manuela segue sem espaçoVirtual candidata a vice, Manuela segue sem espaço - Foto: Arthur de Souza

A estratégia do Partido dos Trabalhadores de insistir na manutenção da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República, que foi vetada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na última sexta-feira, tem gerado incômodos entre correligionários e inquietação no PCdoB, principal aliado na eleição presidencial. Os petistas entraram, nessa terça-feira (4), com recurso extraordinário ao Supremo Tribunal Federal (STF) com foco na manifestação da Organização das Nações Unidas (ONU) e pretendem empurrar a substituição até os últimos dias do prazo - 17 de setembro - para não perder o apelo na possível transferência de votos.

Contudo o PT está tendo dificuldades para lidar com impasse causado pela tática política de ter três pessoas numa chapa presidencial - Lula, o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) e a deputada Manuela D’ávila (PCdoB-RS). Não raro aliados comentem atos falhos ou engasgam durante discursos pedindo voto para “Haddad presidente”. Do outro lado, Manuela, virtual candidata a vice da chapa de Fernando Haddad, segue sem espaço. O imbróglio, inclusive, está atrapalhando até candidatos em alguns estados que não podem imprimir material de campanha para não perder dinheiro ou ter problemas na Justiça Eleitoral.

Nos bastidores, comunistas e alguns petistas convergem na avaliação de que a transferência de voto não será automática e dependeria de outra estratégia: tornar Haddad conhecido, sem a presença física de Lula no palanque. Até agora, ele é apenas o “Andrade”. Por isso, alguns quadros petistas, que são candidatos, pressionam para Haddad assumir o quanto antes a condição de cabeça de chapa.

Leia também:
Defesa de Lula recorre ao Supremo para que ele possa disputar eleição
Defesa de Lula recorre a comitê da ONU para tentar liberar candidatura

Mas a decisão da ONU deu sobrevida à ala que defende o adiamento da substituição, incomodando aqueles que preferiam acelerar a troca de postulante. Quando a Suprema Corte rejeitar o recurso, o partido vai explorar, ao máximo, a ideia de “Lula injustiçado” com o intuito de transferir voto, enquanto isso Haddad e Manuela têm a missão de seguirem viajando o País para fortalecerem as imagens perante o eleitorado. O petista terá o foco no Nordeste, que é a principal aposta para levá-lo ao segundo turno.

Veja também

Comissão de Justiça da Alepe aprova obrigatoriedade de vacinação para servidores estaduais
Coronavírus

Comissão da Alepe aprova obrigatoriedade de vacinação para servidores estaduais

Começa julgamento de consultoria alemã por queda da barragem de Brumadinho
Brumadinho

Começa julgamento de consultoria alemã por queda da barragem de Brumadinho