Metrô do Recife

Intubada em estado grave na UTI, menina atingida por placa de concreto se comunica por gestos

Kemilly Kethelyn Lino da Silva, atingida por placa de concretoKemilly Kethelyn Lino da Silva, atingida por placa de concreto - Foto: Reprodução

A menina Kemilly Kethelyn Lino da Silva, de 8 anos, atingida por uma placa de concreto do Metrô do Recife, no último sábado (16), permanece intubada em estado grave no Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby, área central do Recife. 

De acordo com o enfermeiro Jonata Bruno, presidente da ONG Mão Amiga, que organizava a festa de Dia das Crianças que a garota participava quando ocorreu o acidente, Kemilly se comunica por gestos.

"Ela consegue se comunicar por gestos, mexe os pés e aperta as mãos", disse. Internada na UTI pediátrica, a menina recebe visitas apenas em horários autorizados pelo HR.

"Os médicos estão avaliando para fazer outro procedimento no maxilar", acrescentou Jonata. A equipe da unidade de saúde também avalia se será necessária uma cirurgia no crânio.

Kemilly Kethelyn segue internada em estado grave, segundo atualização da Assessoria de Comunicação do HR desta segunda-feira. 

Com a queda da placa de concreto, na altura da Estação Joana Bezerra, no Coque, a menina sofreu politraumatismo - trauma em várias partes do corpo. Ela passou por uma cirurgia no quadril e segue em observação e sem previsão de alta. 

Parte do muro desabou, atingindo criança de oito anos no CoqueParte do muro desabou sobre menina de 8 anos (Foto: Reprodução)

Um ato dos moradores da comunidade marcado para esta segunda-feira pede justiça e resposta da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). O protesto sairá da avenida Central, onde ocorreu o caso, e seguirá até a Estação Recife do Metrô. A companhia é a responsável pelo Metrô do Recife. 

Por meio de nota emitida nesta segunda-feira, no segundo dia após o acidente, a CBTU lamentou "profundamente o ocorrido". "A CBTU informa ainda que representantes do RH foram ao Hospital da Restauração prestar apoio aos familiares", diz trecho do comunicado.

A CBTU alega que os 71 quilômetros de vias eletrificadas do Metrô do Recife "possuem muros que passam por vistorias e reparos periodicamente, inclusive para reparos de vandalismo". 

Uma reunião entre representantes da CBTU, a família e advogados está marcada para a tarde desta segunda-feira. "Entraram em contato com a família e disserem que iam fazer todo o possível", afirmou Jonata, sobre o contato da companhia com os parentes de Kemilly. 

Veja também

Revista Digital FMOTORS | Edição Dezembro 2021Revista Digital FMOTORS

Revista Digital FMOTORS | Edição Dezembro 2021

Desenvolvedor do Pegasus investiga relatos de espionagem com a ferramentaAtaque Hacker

Desenvolvedor do Pegasus investiga relatos de espionagem com a ferramenta