Irlanda quatruplica contribuição à OMS após EUA suspenderem envio de verbas

Com o aumento, o país passará a contribuir com 9,5 milhões de euros (cerca de R$ 54,2 milhões)

OMSOMS - Foto: Reprodução/Wikipedia

O vice-primeiro ministro da Irlanda, Simon Coveney, afirmou na quinta-feira (16) que o país irá quadruplicar sua contribuição para a Organização Mundial de Saúde (OMS). O anúncio ocorreu dois dias após o presidente dos EUA, Donald Trump, suspender o envio de verbas americanas à organização.

"A Irlanda apoia fortemente o OMS nos esforços para coordenar uma resposta global para combater a Covid-19. Muitos países contam com a experiência e a capacidade das Nações Unidas para salvar vidas", escreveu Coveney em uma rede social.

Leia também:
OMS 'lamenta' decisão de Trump de suspender financiamento
Trump corta repasse à OMS enquanto reafirma poder


Com o aumento, o país passará a contribuir com 9,5 milhões de euros (cerca de R$ 54,2 milhões). A organização tem sido alvo de críticas pelos EUA por supostamente ter minimizado a dimensão do surto da Covid-19 e demorado a considerá-lo como uma pandemia.

Os Estados Unidos são os maiores doadores da OMS -em 2019, o país desembolsou US$ 400 milhões (R$ 2,06 bilhões), o equivalente a cerca de 15% do orçamento da organização sediada em Genebra.

Ainda na quinta, o governo irlandês anunciou que a primeira onda de contaminação pelo coronavírus havia sido contida no país, exceto no caso de lares de idosos, onde a disseminação continua. Até esta sexta (17), a Irlanda tinha 486 mortes e 13.271 casos confirmados.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

No Recife, mais de 50% da população adulta recebeu ao menos uma dose de vacina contra a Covid-19
Vacina

No Recife, mais de 50% da população adulta recebeu ao menos uma dose de vacina contra a Covid-19

Vacina cubana Abdala contra Covid-19 tem eficácia de 92%
VACINA Abdala

Vacina cubana Abdala contra Covid-19 tem eficácia de 92%