Irmãos de 9 e 6 anos morrem afogados em barragem de Sertânia

Meninos haviam ido com os pais para piquenique e desapareceram nas águas do reservatório

Barragem Campos acumula casos de afogamentos nos últimos dois anosBarragem Campos acumula casos de afogamentos nos últimos dois anos - Foto: Jornalista Cecília Souza/ Cortesia

Dois irmãos de 6 e 9 anos morreram afogados na tarde do último domingo (4), na Barragem Campos, Sítio Caldeirão, em Sertânia, no Sertão do Estado. Os meninos estavam com os pais e em um descuido desapareceram nas águas do reservatório, que faz parte do sistema de transposição do Rio São Francisco.

Os corpos das duas crianças ficaram desaparecidos por mais de duas horas e foram resgatados por populares, por volta das 17h. Policiais já iniciaram a investigação do caso e informaram que os pais estão muito abalados.

Leia também:
"Morreu como herói", diz irmão de homem que salvou crianças de afogamento
Morte de criança por afogamento em piscina de clube é investigada pela polícia


Segundo o comissário Juarez Silva, o casal levou os quatro filhos para um piquenique as margens da barragem, programação recreativa de muitas pessoas de Sertânia para os domingos. “Foi uma coisa muito rápida. A mulher estava com os quatro filhos e os dois mais velhos estavam no raso brincando quando sumiram. Aquela barragem é muito perigosa porque há muitos buracos. Gente mais velha e que sabia nadar já morreu lá. Em dois anos já foram uns seis afogamentos”, contou Silva.

O caso será remetido à Justiça, que deve verificar se houve algum tipo de negligência dos pais. As crianças foram encontradas submersas a cerca de quatro metros da margem em um desses buracos. Os corpos dos meninos seguiram para o IML de Caruaru.

Veja também

Centro de Testagem no Centro de Convenções segue com movimento intenso
Covid-19

Centro de Testagem no Centro de Convenções segue com movimento intenso

'Ataque terrorista islâmico', diz Macron após assassinato de três pessoas a facadas na França
Ataque na França

'Ataque terrorista islâmico', diz Macron após assassinato de três pessoas a facadas na França