Islândia

Islândia autoriza caça de baleias para a temporada de 2024

A decisão foi tomada com base no princípio da precaução

A licença autoriza a caça de 128 baleias-comuns para a temporada que vai de meados de junho a setembroA licença autoriza a caça de 128 baleias-comuns para a temporada que vai de meados de junho a setembro - Foto: Laurent Fievet/ ABC TV Australia / AFP

A Islândia, um dos três países do mundo que autoriza a caça de baleias, deu nesta terça-feira (11) sinal verde a esta atividade para a temporada de 2024.

A licença autoriza a caça de 128 baleias-comuns para a temporada que vai de meados de junho a setembro, anunciou o Ministério das Pescas e Alimentação, menos do que na temporada anterior (161).

Esta decisão foi tomada com base no princípio da precaução e "reflete a crescente importância atribuída pelo Governo ao uso sustentável dos recursos", afirmou o ministério no seu site. 

No ano passado, a Islândia suspendeu a caça às baleias em junho durante dois meses, após a publicação de um relatório encomendado pelo governo que concluiu que os métodos de caça utilizados não cumpriam a legislação sobre bem-estar animal.

O governo autorizou a sua retomada no dia 1º de setembro com restrições aos métodos utilizados e à presença de inspetores oficiais a bordo que filmaram todas as capturas.

As condições de caça para 2024 permanecerão as mesmas do ano passado, disse o ministro das Pescas e Alimentação, Bjarkey Olsen Gunnarsdóttir, à imprensa islandesa.

"Esta decisão não corresponde necessariamente às minhas posições", mas "devo respeitar as leis e regulamentos" da Islândia, acrescentou.

A Islândia, assim como a Noruega e o Japão, ainda pratica a caça comercial de baleias, apesar das ferozes críticas de ativistas ambientais e dos direitos dos animais.

Veja também

Herdeiro bilionário é condenado a pagar US$ 900 milhões a vítimas de abusos sexuais
CRIME

Herdeiro bilionário é condenado a pagar US$ 900 milhões a vítimas de abusos sexuais

Professores e técnicos da Educação Básica aceitam proposta do governo para encerrar greve
EDUCAÇÃO

Professores e técnicos da Educação Básica aceitam proposta do governo para encerrar greve

Newsletter