Isolamento reduziu contágio em Pernambuco, mas índice ainda não é suficiente

Taxa de contágio caiu de 3.5 para 1.3, mas para controlar a epidemia do novo coronavírus é preciso que fique abaixo de 1.0

Secretário Estadual de Saúde, André LongoSecretário Estadual de Saúde, André Longo - Foto: Hélia Scheppa/SEI

Embora tenha anunciado mais rigidez no controle do isolamento social a partir de sábado (16), em cinco municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR), o Governo de Pernambuco vinha trabalhando medidas para tentar controlar a infecção pelo novo coronavírus desde o dia 18 de março, quando interrompeu as aulas escolares e universitárias.

Em seguida, no dia 21 de março, decretou o fechamento do atendimento ao público no comércio não essencial. Posteriormente, veio a recomendação de veto no acesso às praias, calçadões e parques de todo o Estado.

"Um estudo do Imperial College (instituição britânica), em maio, aponta que as medidas tomadas anteriormente reduziram em 63% a taxa de contágio. Já o Painel PE Covid aponta que isso permitiu 3,4 mil que vidas fossem salvas até 7 de maio. Apesar das aparentes boas noticias, o cenário ainda é extremamente preocupante”, disse o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo.

As medidas em vigor ajudaram a diminuir o nível de contágio no Estado de 3.5, em março, para 1.3. Apesar de comemorada, essa redução ainda não é suficiente para diminuir o agravamento da crise sanitária provocada pelo novo coronavírus, que sobrecarrega os sistemas de saúde público e privado, sobretudo na Região Metropolitana do Recife (RMR).

Leia também:
Pernambuco adota medidas mais rígidas para combate ao coronavírus
Na quarentena, para ir ao mercado ou padaria, será preciso levar comprovante de residência
Fernando de Noronha zera casos de Covid-19


"Apesar de termos adotado medidas exitosas anteriormente, muitas pessoas passaram a relaxar e descumprir as recomendações. Isso acabou por agravar a situação nos serviços de saúde, principalmente na Região Metropolitana”, afirmou Longo, justificando o motivo de governo ter optado por intensificar a fiscalização do movimento das pessoas. "Essas ações se fazem extremamente necessárias por serem a única forma de controlar a disseminação do vírus. O IRRD (Instituto para Redução de Riscos e Desastres) diz que para a epidemia começar a apresentar baixa, a propagação do vírus tem que ser menor de 1.0”, completou.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Mianmar pode ser a próxima Síria, adverte ONU
Mundo

Mianmar pode ser a próxima Síria, adverte ONU

Pernambuco registra, nas últimas 24h, 2.531 novos casos e 68 óbitos por Covid-19
coronavírus

Pernambuco registra, nas últimas 24h, 2.531 novos casos e 68 óbitos por Covid-19