Notícias

Itália volta a registrar números encorajadores da Covid-19

País teve nova redução na quantidade de mortes diárias e também no número de pacientes graves em UTIs

Profissionais da saúde em atividade na ItáliaProfissionais da saúde em atividade na Itália - Foto: Andreas Solaro/AFP

A Itália, país com maior índice de mortes pela Covid-19 no mundo (17.669), registrou nesta quarta-feira (8) novos números encorajadores, especialmente uma diminuição do número diário de óbitos e de pacientes em terapia intensiva.

As 542 novas mortes registradas nesta quarta-feira representam uma redução em relação à terça (7), quando foram registradas 604 mortes em 24 horas, e à segunda-feira (636).

O número de pacientes em UTIs, 3.693, continua diminuindo pelo quinto dia consecutivo e está agora no nível de 26 de março, de acordo com o balanço divulgado pela proteção civil.

Leia também:
Itália prepara suspensão 'gradual e controlada' das restrições
Itália informa primeira redução de pacientes em UTIs por coronavírus


Da mesma forma, o número de pessoas curadas atingiu 2.099, "um recorde" em 24 horas, destacou Angelo Borrelli, chefe da proteção civil. A região mais afetada continua sendo a Lombardia, com mais da metade das mortes italianas, 9.722 e mais de 53 mil casos, enquanto toda a península registra até o momento 139.422 casos.

Apesar destes sinais encorajadores, os responsáveis pedem prudência e que não desistam do esforço, respeitando as regras de confinamento e de distanciamento social. "A única arma que temos é o distanciamento social e o respeito às normas. Não devemos pensar que vencemos a batalha. A situação é e continua sendo grave, não podemos subestimar", concluiu o ministro da Saúde, Robert Transpercé.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Após massacre no Texas, Trump pede que cidadãos se armem para combater o "mal"
Estados Unidos

Após massacre no Texas, Trump pede que cidadãos se armem para combater o "mal"

Estudo aponta sequelas neurológicas em pacientes leves de Covid-19
Novo coronavírus

Estudo aponta sequelas neurológicas em pacientes leves de Covid-19