Italianos voltam às missas após dois meses de culto online

Celebração foi autorizada nas 25.000 paróquias da península, mas com a condição de que se respeite um protocolo específico para evitar a propagação do vírus

Os fiés tiveram acesso ao local após medirem a temperatura e desinfetarem as mãos com álcool em gelOs fiés tiveram acesso ao local após medirem a temperatura e desinfetarem as mãos com álcool em gel - Foto: Handout / Vatican Media / AFP

"Finalmente!". Depois de dois meses e meio de espera e restrições devido ao coronavírus, a italiana Alba Fiore voltou a assistir a missa na igreja de Santa Maria em Traspontina, próximo ao Vaticano, e recebeu a comunhão como tanto desejava.

A partir desta segunda-feira (18), a celebração da missa foi autorizada nas 25.000 paróquias da península, mas com a condição de que se respeite um protocolo específico para evitar a propagação do vírus, que já causou 32.000 mortes no país, entre elas cerca de 120 padres.

Leia também:
Basílica de São Pedro reabre no Vaticano: Itália 'acende as luzes'
Vaticano celebrará Semana Santa sem fiéis devido ao coronavírus


Alba, uma católica de 83 anos, que raramente saiu de casa durante o longo confinamento, sente "um novo amanhecer" ao entrar em sua igreja, um templo do século XVI, com mármores do Coliseu romano e importantes relíquias. Nesta manhã, antes de entrar na missa das 9H00, usou o frasco de álcool em gel colocado na entrada, ajustou a máscara obrigatória e se sentou em um dos bancos, dispostos a uma boa distância uns dos outros. "Tudo está sendo organizado com muita atenção, me sinto serena", afirmou Alba.

"Não há fila para a comunhão e será recebida nas mãos", explicou o padre carmelita, praticamente mascarado, enquanto falava no microfone do altar barroco.

As primeiras missas desta segunda-feira permitem ao padre Massimo Brogi observar a reação dos fiéis e se preparar para as celebrações de domingo, tradicionalmente com mais devotos.

Cartazes indicam que somente duas pessoas podem sentar-se por banco, separadas por um metro de distância.

Os bancos, por sua vez, foram colocados a 1,6 metros de distância e a capacidade do templo para mais de 200 fiéis foi reduzida para no máximo 90 pessoas.

O medo persiste

Aberta à oração durante os meses de confinamento, como muitas igrejas de Roma, Santa Maria em Traspontina vai permanecer vazia quase o dia todo.

"As pessoas estavam realmente assustadas", reconheceu o padre Brogi: "Nem em tempos de guerra sentimos isso!", comenta.

O religioso costumava falar principalmente com seus fiéis por telefone e utilizava com frequência as redes sociais. "Nossas missas foram transmitidas ao vivo pela nossa página na web. Muita gente as acompanhava em seus computadores e celulares, inclusive no Brasil e na Índia", conta.

O episcopado italiano teve que protestar para poder retomar as missas, uma controvérsia que obrigou o pontífice a intervir com sucesso para reconciliar o Estado italiano com os bispos.

Veja também

Miss Roraima Teen morre aos 21 anos em cirurgia de emergência
Fatalidade

Miss Roraima Teen morre aos 21 anos em cirurgia de emergência

Brasil confirma 559.607 mortes por Covid-19
Boletim nacional

Brasil confirma 559.607 mortes por Covid-19