A-A+

Saúde

Jaboatão dos Guararapes desenvolve ação preventiva contra arboviroses

Diante do período chuvoso, a operação visa eliminar larvas do mosquito Aedes aegypti nas regionais do município

Jaboatão reduziu em cerca de 35% o número de casos relacionados à dengueJaboatão reduziu em cerca de 35% o número de casos relacionados à dengue - Foto: Divulgação

Em ação preventiva, Jaboatão dos Guararapes tem intensificado as iniciativas de combate às arboviroses em todas as regionais do município. No último fim de semana, equipes da Secretaria Municipal de Saúde estiveram em vários pontos dos bairros do Socorro e de Candeias aplicando produtos que eliminam as larvas do mosquito Aedes aegypti.

O acúmulo de água decorrente do período chuvoso, favorece a disseminação das arboviroses, doenças causadas pelos chamados arbovírus, que incluem a dengue, Zika vírus e Chikungunya. 

De acordo com o município,  em 2020, Jaboatão reduziu em cerca de 35% o número de casos relacionados à dengue, resultado do planejamento de ações preventivas. Para o prefeito do Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, o apoio da população em acabar com os pontos de água parada, é essencial no combate ao mosquito. 

“Esse índice reflete os esforços que temos empenhado para combater o mosquito, o que não significa, de forma alguma, que podemos relaxar com relação às medidas preventivas. A maioria dos focos está dentro das residências, por isso é preciso que a população nos auxilie acabando com pontos de água parada. Esse cuidado diário é fundamental para que tenhamos cada vez menos casos dessas doenças no Jaboatão”, disse o gestor municipal.  

Os locais foram escolhidos de forma estratégica através do Levantamento Rápido de Índices para o Aedes aegypti (LIRAa) que acontece a cada dois meses no município. Segundo o gerente de Vigilância Ambiental, Otoniel Barros, o levantamento é fundamental para identificar os locais de focos do mosquito. 

“Com esse resultado, nós sabemos em quais locais da cidade temos o maior número de focos, isso acontece em conjunto com o número de notificações de quando a pessoa procura um médico ou uma unidade de saúde e há suspeita de ser alguma dessas doenças que compõem as arboviroses. Então a gente também recebe essas notificações, identifica onde as pessoas estão adoecendo e direcionamos as ações para esses locais que têm tanto número de focos grande do mosquito, quanto o adoecimento das pessoas”, falou Otoniel Barros. 
 

 

Veja também

Aos 83 anos, morre o arquiteto Ruy Ohtake, filho da artista Tomie Ohtake
Luto

Aos 83 anos, morre o arquiteto Ruy Ohtake, filho da artista Tomie Ohtake

Ensino a distância conquista adeptos e aumenta após fim de restrições
Educação

Ensino a distância conquista adeptos e aumenta após fim de restrições