Síndrome de Haff

Jaboatão recomenda suspensão da venda do peixe arabaiana; Apevisa diz que não há restrições

Para o cumprimento da recomendação de suspensão, haverá inspeção em feiras, peixarias e supermercados

Peixe arabaianaPeixe arabaiana - Foto: Divulgação

Após a morte da veterinária pernambucana Pryscila Andrade, com suspeita de Síndrome de Haff, a Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR), recomenda a suspensão do comércio do peixe arabaiana no município. 

A veterinária e a irmã, a empresária Flávia Andrade, foram internadas, em fevereiro, em um hospital privado do Recife após comerem o peixe. A síndrome é popularmente conhecida como "doença da urina preta". A morte de Pryscila foi informada pela mãe, nessa terça-feira (2).

Segundo a secretária municipal de Saúde de Jaboatão dos Guararapes, Zelma Pessôa, a recomendação de não comercialização para o município vale até o fim da Semana Santa, no início de abril. A data coincide com o período histórico do aumento do consumo de peixes por causa da Quaresma.

"A decisão se deu por ser [a arabaiana] um peixe de maior musculatura e pela possibilidade de albergar uma maior quantidade de toxinas. Jaboatão irá seguir as diretrizes técnicas definidas em reunião", explicou Zelma.

A reunião a qual a secretária se refere ocorreu na terça-feira (2), em Jaboatão. Participaram do encontro representantes do Ministério da Agricultura, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e de órgãos municipais e estaduais, como as agências de Defesa e Fiscalização Agropecuária (Adagro) e Vigilância Sanitária (Apevisa) e a Vigilância Sanitária de Jaboatão.

Apesar do conselho de Jaboatão, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), por meio da Apevisa, em nota divulgada nesta quarta-feira (3), informou que não há, em âmbito estadual, nenhuma restrição voltada para o consumo de peixes e crustáceos no território pernambucano, no momento.

"Não há como proibir, não temos estudos suficientes que recomendem essa proibição do consumo. As nossas recomendações são aquelas comuns da Quaresma, como a atenção à escolha do peixe", falou o gerente-geral da Apevisa, Josemaryson Bezerra.

Para o cumprimento da recomendação de suspensão em Jaboatão, haverá inspeção pelas equipes de Vigilância Sanitária do município em feiras, peixarias e supermercados que comercializam peixes e crustáceos.

"Há uma questão de responsabilidade sanitária para as medidas preventivas, considerando inclusive a necessidade de alerta para a população para o consumo desse tipo de pescado específico. A toxina não é inativada em peixes fritos ou cozidos", completou a secretária de Saúde de Jaboatão.

Orientações
A SES-PE alerta que, em caso de sintomas sugestivos da Síndrome de Haff, como enrijecimento dos músculos, urina preta e dores abdominais, o paciente deve procurar atendimento no serviço de saúde mais próximo de sua residência. 

Em seguida, o paciente deve relatar a sintomatologia e o histórico de consumo de pescados. 

A investigação epidemiológica de cada caso é feita pelas secretarias de Saúde municipais, com apoio da SES-PE. 

Síndrome de Haff em Pernambuco
Entre 2017 e 2021, o Estado registrou 15 possíveis casos de Síndrome de Haff, sendo dez confirmados por critério clínico epidemiológico - dos quais quatro em 2017 e seis em 2020. 

Em 2021, a pasta recebeu a notificação de cinco casos, incluindo o das duas irmãs. Todos seguem investigação, com apoio da Secretaria de Saúde do Recife.

Não há, por ora, mortes confirmadas pela doença nesse período. 

Veja também

Laudo diz que Henry morreu ao menos 1 hora antes de ser tirado de apartamento
Caso Henry Borel

Laudo diz que Henry morreu ao menos 1 hora antes de ser tirado de apartamento

Brasil tem novo recorde de média diária de mortos pela Covid-19, acima de 3 mil
Pandemia

Brasil tem novo recorde de média diária de mortos pela Covid-19, acima de 3 mil