A-A+

JK Rowling critica coaches que cobram produtividade de pessoas em isolamento

A escritora recentemente lançou a plataforma Harry Potter at Home

JK RowlingJK Rowling - Foto: Wikipedia/Reprodução

A escritora JK Rowling, responsável pelas histórias do bruxo Harry Potter, criticou alguns usuários por "implicar que as pessoas são perdedoras se não estiverem aprendendo uma nova habilidade" enquanto estão em isolamento, por causa da pandemia do novo coronavírus.

Leia também:
Fora do BBB 20, Gabi quer ter conversa séria com Guilherme
J.K.Rowling lança site interativo da saga Harry Potter

"Se você é um 'coach da vida' que está implicando que as pessoas são perdedoras se elas não estão aprendendo uma nova habilidade/construindo uma marca enquanto estão em quarentena. As pessoas têm desafios que você não conhece. Às vezes, passar por isso é mais que suficiente", tuitou a escritora.

Coach é uma palavra em inglês que significa "treinador", e que há alguns anos é usada para denominar um profissional que ajuda pessoas no desenvolvimento pessoal e profissional.

Em outro tuíte, Rowling acrescentou: "Implicar que as pessoas são preguiçosas ou desmotivadas se não estão fazendo obras de arte diariamente não é uma inspiração, é uma forma de vergonha. Se a distração sem fim curasse a depressão, nenhuma pessoa rica ou viciada em trabalho jamais se mataria. Tristeza e ansiedade não são fraquezas, são uma resposta humana natural à dificuldade e ao perigo."

"Permitir-nos sentir o que sentimos, e reconhecer que temos boas razões para nos sentir assim, é um caminho melhor para uma boa saúde mental, do que nos batermos por não sermos super-humanos", finalizou.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Prévias do PSDB: na semana seguinte da suspeita de hacker, aplicativo recebe mais de 26 mil acessos
Política

Prévias do PSDB: na semana seguinte da suspeita de hacker, aplicativo recebe mais de 26 mil acessos

Talibãs do Afeganistão querem 'boas relações' com o resto do mundo
Talibã

Talibãs do Afeganistão querem 'boas relações' com o resto do mundo