Jornalistas de Portugal visitam a Folha de Pernambuco

Os jornalistas que acompanham a Associação Portuguesa de Imprensa vieram para Pernambuco com o intuito de participar da exposição sobre jornais centenários de Portugal e do Brasil

Comitiva de jornalistas e empresários da mídia ao jornal Folha de Pernambuco. Comitiva de jornalistas e empresários da mídia ao jornal Folha de Pernambuco.  - Foto: Léo Malafaia/FolhaPE

Com troca de experiências, uma ligação entre a imprensa de Portugal e a Folha de Pernambuco foi selada. Na manhã desta quinta-feira (17), jornalistas da Associação Portuguesa de Imprensa visitaram a Folha de Pernambuco. Os jornalistas que acompanham a Associação Portuguesa de Imprensa vieram a Pernambuco com o intuito de participar de uma exposição sobre jornais centenários de Portugal e do Brasil. A mostra “Jornais Centenários do Brasil e Portugal: um legado cultural” terá abertura nesta sexta-feira (18) e segue até o dia 17 de novembro na sede de Casa Forte da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) em Casa Forte.

"Sempre tivemos a certeza de que a língua portuguesa era muito importante e que teria que ser muito valorizada no mundo da mídia e reconhecer este trabalho realizado por veículos centenários de uma necessidade ímpar", explicou o presidente da Associação Portuguesa de Imprensa, João Palmeiro, sobre a importância da exposição. A mostra “Jornais Centenários do Brasil e Portugal: um legado cultural” contará a história de 34 jornais centenários portugueses e 18 brasileiros, entre eles o Diario de Pernambuco e o Jornal do Commercio. A abertura da exibição será na Galeria Baobá, às 17h.

Treze jornalistas de diferentes jornais portugueses visitaram a Folha de Pernambuco para se familiarizar com os métodos usados para difusão da notícia no Estado. O diretor Executivo da Folha de Pernambuco, Paulo Pugliesi, comentou sobre os progressos na comunicação. "O desafio do jornalismo atual é enfrentar a era digital andando de mãos dadas com o profissionalismo na comunicação, e já estamos fazendo isso", afirmou. Parte desse progresso se deve aos estudos sobre o público que lê o jornal, como explicou Mariana Costa, diretora Administrativa da Folha: "É muito importante saber que parcela do público tem mais interesse em que conteúdo. Por isso, fazemos diversas análises e acompanhamento".

Leia também: 
InovaFundaj chega à segunda edição com inovações tecnológicas em pauta
Fundaj inaugura espaço com quadros de ex-presidentes da Casa

Na passagem por Pernambuco, os jornalistas portugueses aproveitaram para estreitar laços com os jornais do Estado. Na Folha, as modificações para a era digital e o combate às fake news foram destaque. "Eu costumo dizer que as fake news evidenciaram a importância e a credibilidade do jornalismo e da mídia tradicional", contou a editora chefe da Folha de Pernambuco, Leusa Santos.

Veja também

Mamógrafo móvel fará 2.400 atendimentos no Recife em março; confira o calendário
Recife

Mamógrafo móvel fará 2.400 atendimentos no Recife em março; confira o calendário

Papa Francisco condena o "vil sequestro" de 317 adolescentes na Nigéria
Sequestro

Papa Francisco condena o "vil sequestro" de 317 adolescentes na Nigéria