Jovem é baleada e sem-teto são detidos em confusão na Cehab

Grupo teria reunião com secretário, mas encontro foi desmarcado

Ocupação Carolina de JesusOcupação Carolina de Jesus - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Uma reunião desmarcada se transformou em caso de polícia na tarde desta terça-feira (21), no Recife. Cerca de dez pessoas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Sem Teto foram detidas pela polícia no meio da tarde diante da Companhia Estadual de  Habitação e Obras (Cehab), no bairro de Campo Grande. Uma sem-teto foi baleada.

Segundo a polícia, o grupo teria tentado invadir a Cehab após ter sido informada, por volta do meio-dia, de que a reunião que estaria marcada para as 16h com o secretário estadual de Habitação, Bruno Lisboa, havia sido desmarcada. Os sem-teto ocupam um terreno do governo no Barro, na Zona Oeste do Recife, e a reunião seria para discutir a situação das 961 famílias que estão no local, ao lado da Estação do Metrô do Recife no Barro, às margens da BR-101.

De acordo com os sem-teto, policiais repreenderam a ocupação na Cehab com bombas de efeito moral e balas de borracha, porém uma manifestante foi ferida à bala e encaminhada ao Hospital da Restauração (HR), na região central do Recife. As informações são de que, durante a ação policial, os sem-teto correram para o Campo do Onze, perto da secretaria, e lá a jovem Vitória Regina Silva Rodrigues Pena, de 22 anos, foi atingida. A sem-teto, segundo o HR, foi internada com ferimento na parte inferior do ombro direito. 



Entre os quase dez detidos na Central de Flagrantes que funciona próxima ao Cehab, estava o advogado Caio Moura, que afirmou ter sido atingido por bala de borracha na perna esquerda. "Os policiais deixaram que os manisfestantes entrassem na secretaria, porém uma outra guarnição entrou por trás do prédio armado. Tentamos negociar e fomos surpreendidos com bala de borracha e bomba de gás. Ninguém do movimento jogou nada ou teve qualquer reação que fizesse com que a polícia reagisse dessa forma", afirmou o advogado.

O secretário Bruno Lisboa disse que não pode averiguar as reivindicações do movimento e definiu a entrada dos manifestantes como violenta. "Eles entraram com pedras, quebrando tudo, de forma violenta e não tivemos a oportunidade de negociar com ninguém do MTST".

Segundo Maria Joselita, uma das coordenadoras da ocupação Carolina de Jesus, "a Polícia não conversou com ninguém, usaram palavras de baixo calão tentando tencionar a situação. Gritamos palavras de ordem, aí começou a confusão". E continou: "Eles jogaram bombas de gás, atiraram com bala de borracha e prenderam algumas pessoas que estavam no movimento. Se a Polícia não tivesse tomado essa postura, nada disso teria acontecido. Chegamos na paz querendo um direto que é nosso".

Em nota, o 13º Batalhão da Polícia Militar de Pernambuco informou que foi acionado pela Cehab, junto a guarnições ao batalhão da Rádio Patrulha, depois que o grupo de sem teto "começou a depredar as vidraças". Também informou que dois policiais foram "feridos levemente pelas pedradas" e que evitou "que fosse ateado fogo na via, quando o grupo colocou vários pneus na avenida Agamenon". Ao final da nota, afirmou: "A situação foi contornada e a ordem restabelecida".

Ocupação

A área de quase dez mil metros quadrados ao lado da estação Barro foi ocupada pelos sem-teto desde a última sexta-feira (17). Após a confusão na Cehab, a reportagem do Portal FolhaPE esteve na ocupação Carolina de Jesus na noite desta terça-feira. No local, a maioria dos sem-teto são mulheres e há também muitas crianças.  Havia uma viatura da polícia também, ao lado, mas o clima era calmo.

Veja também

Navegue na edição digital da Folha Mais deste fim de semana
Impresso

Navegue na edição digital da Folha Mais deste fim de semana

Além da preparação para provas, Enem vai exigir medidas de prevenção contra o novo coronavírus
Enem

Além da preparação para provas, Enem vai exigir medidas de prevenção contra o novo coronavírus