Julgamento do caso Artur Eugênio pode ter resultado ainda nesta terça

Enfrentam o júri popular neste segundo dia de julgamento o ex-médico Claudio Amaro Gomes, 60 anos, e o suspeito de ser intermediário para contratação dos demais contatos com os executores, Jailson Duarte César

Chegada dos acusados no julgamento do caso Artur EugênioChegada dos acusados no julgamento do caso Artur Eugênio - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Continua nesta terça-feira (11) o segundo dia de julgamento do assassinato do médico Artur Eugênio, assassinado em maio de 2014, após ser sequestrado e executado às margens da BR-101, em Jaboatão, onde o corpo foi encontrado. Enfrentam o júri popular o ex-médico - que teve o diploma cassado em abril deste ano e apontado como mandante do crime - Claudio Amaro Gomes, 60 anos, e o suspeito de ser intermediário para contratação dos demais contatos com os executores, Jailson Duarte César. A expectativa é de que o resultado seja anunciado ainda nesta terça-feira (11).

“Acreditamos que o resultado do julgamento seja divulgado ainda hoje [nesta terça] pela juíza. Se não hoje, até a madrugada desta quarta-feira (12) nós teremos uma decisão”, apostou o assistente da acusação, Daniel Lima. Neste segundo dia, vão ser ouvidos Jailson Duarte e Claudio Amaro. O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) também apresenta sua sustentação oral e, logo após, têm-se início os debates. As defesas, assim como o MPPE, terão duas horas e meia cada uma para a realização da réplica e da tréplica. A sessão é presidida pela juíza Inês Maria de Albuquerque Alves e acontece no Fórum de Jaboatão dos Guararapes, no bairro da Muribeca, Região Metropolitana do Recife.

Leia também:
Caso Artur Eugênio: filho de médico Cláudio Amaro volta a inocentar o pai
Júri de Claudio Amaro: defesa aposta em falta de provas, mas acusação tem certeza da culpa


Após a entrega do questionário, a juíza profere o resultado. Para a viúva de Arthur Eugênio, Carla Azevedo, o julgamento dos dois acusados vinha sendo aguardado com grande expectativa. “A gente vinha com muita ansiedade e expectativa sobre este júri, que já chegou a ser adiado uma vez. Ontem [segunda], foi um dia longo e desgastante, mas, na minha opinião, foi um dia que um dia positivo no que diz respeito a exposição doa fatos. Enxergamos muitas controvérsias no discurso de Claudio Júnior e isso mostra quem esta do lado da verdade”, falou a viúva.

Além dela, foram ouvidos nesta segunda-feira (10), o pai de Artur, Alvino Luiz Pereira, e Cláudio Amaro Junior, já condenado pelo assassinato do médico. O pai de Artur Eugênio está confiante no resultado do julgamento. “Os advogados de defesa armaram como uma peça teatral mentirosa, mas quando a verdade chega a mentira desaparece. Estou com a sensação de que a justiça será feita porque confio em Deus e acredito na justiça da terra”, comentou esperançoso Alvino Luiz.

A seção foi suspensa momentaneamente para que a juíza decidisse sobre a exibição de uma reportagem aos jurados. O ministério público se colocou favorável à exibição, enquanto que a defesa dos réus, não. Durante a suspensão do julgamento, foi solicitado atendimento médico para Claudio Amaro Gomes, que teria passado mal (um possível princípio de infarto).

Entenda o caso
O cirurgião Artur Eugênio foi sequestrado na porta de casa e assassinado com quatro tiros, no dia 12 de maio de 2014. O corpo dele foi encontrado no dia seguinte na BR-101, no bairro de Comporta, no município de Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife (RMR). Segundo a denúncia do MPPE, o crime teria sido motivado por desentendimentos profissionais entre Cláudio Amaro e a vítima.

Veja também

Biden assume comando da luta contra Covid-19 e decreta quarentena para viajantes
EUA

Biden assume comando da luta contra Covid-19 e decreta quarentena para viajantes

Importação de insumo de vacinas é questão burocrática, diz Bolsonaro
Vacina

Importação de insumo de vacinas é questão burocrática, diz Bolsonaro