Julgamento dos acusados da morte do médico Artur Eugênio deve durar cinco dias

Suposto mandante e a vítima, Claudio e Artur, eram cirurgiões torácicos e trabalharam juntos, até Artur descobrir irregularidades cometidas por Cláudio em procedimentos cirúrgicos no Hospital das Clínicas

Artur Eugênio de Azevedo foi sequestrado na porta de casa e assassinado com quatro tiros no dia 12 de maio de 2014Artur Eugênio de Azevedo foi sequestrado na porta de casa e assassinado com quatro tiros no dia 12 de maio de 2014 - Foto: Facebook/Justiça por Artur

O julgamento dos dois acusados pela morte do médico Artur Eugênio de Azevedo Pereira terá início na próxima segunda-feira (10). Os acusados de matar o médico em maio de 2014 são Claudio Amaro Gomes, 60 anos, ex-médico que teve o diploma cassado neste ano e suposto mandante do crime, e Jailson Duarte César, suporto intermediário para contratação e demais contatos com os executores. O julgamento pode durar até cinco dias e será realizado no Fórum de Jaboatão, bairro da Muribeca, diante da juíza Inês Maria de Albuquerque Alves. vão ser julgados pelo Tribunal do Juri da Comarca de Jaboatão dos Guararapes

Claudio Amaro Gomes teve prioridade para ser levado ao banco de réus, visto que é o mais velho entre os acusados, conforme prevê Estatuto do Idoso. O suposto mandante e a vítima, Claudio e Artur, eram cirurgiões torácicos e trabalharam juntos até Artur descobrir irregularidades cometidas por Cláudio em procedimentos cirúrgicos no Hospital das Clínicas, passando a ser perseguido.

Artur sofreu assédio moral ao longo de dois anos antes de ser assassinado. Sua prática profissional vinha sendo prejudicada. Ao longo de toda a investigação policial e jurídica há tem diversos relatos de usos de materiais inadequados, de posturas éticas inadequadas", disse a viúva e também médica Carla Rameri à Folha de Pernambuco em abril deste ano.

Leia também:
Julgamento de réus pelo caso Artur Eugênio é adiado
Médico acusado de mandar matar Artur Eugênio tem diploma cassado
Conduta de médico acusado pelo homicídio de Artur Eugênio é julgada pelo Cremepe


Artur Eugênio de Azevedo foi sequestrado na porta de casa e assassinado com quatro tiros no dia 12 de maio de 2014. Seu corpo foi encontrado na BR-101, no bairro de Comporta, em Jaboatão dos Guararapes.

Veja também

Governo afirma ao STF que 72% dos índios já receberam as duas doses da vacina contra a Covid-19
Vacinação

Governo afirma ao STF que 72% dos índios já receberam as duas doses da vacina contra a Covid-19

Novo lote com 529 mil doses de vacina da Pfizer chega ao Brasil
Coronavírus

Novo lote com 529 mil doses de vacina da Pfizer chega ao Brasil