Justiça barra a liberação de quarentena em cidades do interior de SP

O decreto estadual que determina o funcionamento somente de serviços essenciais segue até o dia 11 de maio

Quarentena em São Paulo é prorrogada até 10 de maioQuarentena em São Paulo é prorrogada até 10 de maio - Foto: Governo de SP/Flickr

Ao menos quatro cidades do interior de São Paulo tentaram pular a quarentena decretada pelo governo do estado em 24 de março. Os municípios, por meio de decretos municipais, procuraram abrir brechas para que serviços não essenciais funcionassem, expondo suas populações à contaminação pela Covid-19. Nenhuma das prefeituras se manifestou sobre as medidas judiciais até conclusão desta edição.

Leia também:
Corrida por leitos para pacientes de coronavírus contrasta com hospitais parados em São Paulo
Mortes por Covid-19 crescem mais entre pessoas com menos de 60 anos

Para evitar os descumprimentos, o Ministério Público e o Tribunal de Justiça tomaram medidas, estipulando multas de até R$ 50 mil, caso os governos municipais desrespeitem o decreto estadual, que determina o funcionamento somente de serviços essenciais, como mercados e farmácias, até 11 de maio.

Na sexta-feira (24), a Justiça de Sertãozinho (333 km de SP) suspendeu atividades de estabelecimentos não essenciais, que funcionavam por meio de decreto municipal; a cidade de São José dos Campos (99 km de SP) também foi obrigada a cumprir o decreto estadual, por liminar; em Sorocaba (99 km de SP) e Jundiaí (59 kmd e SP) o MP pede o fechamento de comércios não essenciais.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Projeto doa próteses auditivas a pessoas em situação de vulnerabilidade em Paulista
RMR

Projeto doa próteses auditivas a pessoas em situação de vulnerabilidade em Paulista

Adolescentes entre 12 a 17 anos serão incluídos na vacinação contra Covid-19, anuncia ministro
Imunização

Adolescentes entre 12 a 17 anos serão incluídos na vacinação contra Covid-19, anuncia ministro