Notícias

Justiça concede relaxamento de prisão de envolvidos em tiroteio em Boa Viagem

De acordo com a decisão do magistrado, as prisões preventivas dos acusados se tornaram ilegais por inobservância ao disposto nos Artigos 10 e 46 do Código de Processo Penal (CPP)

Polícia Militar foi acionada após tiroteio em bar localizado em Boa ViagemPolícia Militar foi acionada após tiroteio em bar localizado em Boa Viagem - Foto: Divulgação/PM

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) informou que, em decisão proferida nesta quarta-feira (23), o juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti, da 1ª Vara do Tribunal do Júri da Capital, concedeu relaxamento de prisão ao policial penal do Estado Ricardo de Queiroz Costa, e ao major da Polícia Militar (PM) José Dinamérico Barbosa da Silva Filho. Eles foram autuados na prisão em flagrante por homicídio consumado e tentativa de homicídio. O caso aconteceu após uma discussão entre os servidores de segurança. Na confusão, houve trocas de tiros, resultando em três pessoas mortas e outras quatro feridas, em bar localizado na rua Professor José Brandão.

De acordo com a decisão da justiça, as prisões preventivas dos acusados, decretadas no dia 6 de setembro, se tornaram ilegais por inobservância ao disposto nos Artigos 10 e 46 do Código de Processo Penal (CPP), conforme descrito abaixo:

Art. 10.  O inquérito deverá terminar no prazo de 10 dias, se o indiciado tiver sido preso em flagrante, ou estiver preso preventivamente, contado o prazo, nesta hipótese, a partir do dia em que se executar a ordem de prisão, ou no prazo de 30 dias, quando estiver solto, mediante fiança ou sem ela.

Art. 46.  O prazo para oferecimento da denúncia, estando o réu preso, será de 5 dias, contado da data em que o órgão do Ministério Público receber os autos do inquérito policial, e de 15 dias, se o réu estiver solto ou afiançado. No último caso, se houver devolução do inquérito à autoridade policial (art. 16), contar-se-á o prazo da data em que o órgão do Ministério Público receber novamente os autos.

Entenda o caso

Policiais do 19º batalhão, responsável pelo bairro, foram acionados para apurar o crime no local. Segundo a PM, houve uma briga entre o major e o policial penal em um bar da rua Professor José Brandão, em Boa Viagem, onde efetuaram disparos. Houveram sete vítimas no total, sendo um morto no local e outro que faleceu após dar entrada em uma unidade hospitalar do Recife. Ficaram outros cinco feridos, incluindo o policial e o major, mas uma das vítimas, um homem de 70 anos, morreu no hospital quatro dias depois do crime.

Veja também

Barroso manda governo proteger três terras indígenas da Covid-19 e diz que "situação é gravíssima"
Coronavírus

Barroso manda governo proteger três terras indígenas da Covid-19 e diz que "situação é gravíssima"

OAB define que metade dos cargos de direção da ordem deverá ser ocupada por mulheres
Equidade

OAB define que metade dos cargos de direção da ordem deverá ser ocupada por mulheres