frança

Justiça francesa condena filho de líder histórico do ETA, mas o isenta de cumprir pena

Separatista basco que atua como vereador no sudoeste da França, descreveu a decisão de exonerá-lo da sentença como uma mensagem de "apaziguamento"

Egoitz Urrutikoetxea, filho do líder histórico da organização separatista basca ETA Egoitz Urrutikoetxea, filho do líder histórico da organização separatista basca ETA  - Foto: Gaizka Iroz/AFP

A Justiça francesa considerou nesta quinta-feira (30) Egoitz Urrutikoetxea, filho do líder histórico da organização separatista basca ETA Josu Ternera, culpado de fornecer ajuda material ao grupo em 2005, mas o tribunal isentou-o de cumprir pena.

Urrutikoetxea, um separatista basco que atua como vereador no sudoeste da França, descreveu a decisão de exonerá-lo da sentença como uma mensagem de “apaziguamento”.

O tribunal de apelações condenou Urrutikoetxea, de 49 anos, por “associação terrorista de criminosos”, mas observou que é necessário “levar em conta” fatores como a sua “reabilitação” e “o seu comportamento”, razão pela qual o isentou de cumprir pena.

Esta decisão vai “além da minha pessoa” e pode ser entendida como “um reconhecimento do processo de resolução de conflitos que está em curso no País Basco”, afirmou o acusado.

Urrutikoetxea atua como vereador em Lichans-Sunnar, uma cidade perto da fronteira com a Espanha, e é membro do partido Euskal Herria Bai (EH Bai, Sim ao País Basco).

Em uma audiência no dia 25 de abril, Urrutikoetxea afirmou ter uma “visão crítica” da ETA e disse que “o uso da violência distorce as exigências que podem ser consideradas legítimas”.

Veja também

ONG voltada à população de rua realiza bazar solidário no Recife
ação beneficente

ONG voltada à população de rua realiza bazar solidário no Recife

Estudo alerta sobre desaparecimento de ursos polares no Canadá por causa do calor
animais

Estudo alerta sobre desaparecimento de ursos polares no Canadá por causa do calor

Newsletter