Justiça garante realização do Guaiamum Treloso Rural 2018

Decisão indefere ação pública do MPPE que pedia a não realização do evento

Guaiamum TrelosoGuaiamum Treloso - Foto: Guaiamum Treloso/Facebook

A Justiça indeferiu nesta quinta-feira (18) o pedido de liminar do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que entrou com uma ação pública solicitando o cancelamento da prévia carnavalesca Guaiamum Treloso Rural 2018. O evento, programado para ser realizado neste sábado (20), na Fazenda Bem-Te-Vi (Estrada de Aldeia, km 13, Aldeia, Camaragibe), portanto, não corre mais o risco de deixar de acontecer este ano por motivos legais.

Para indeferir o pedido do MPPE, a juíza de direito de 2ª entrância Jacira Jardim de Souza Meneses, da 3ª Vara Cível da Comarca de Camaragibe, baseou-se primeiramente no argumento de que esta é a terceira edição do Guaiamum Treloso Rural, na mesma Fazenda Bem-Te-Vi, "não havendo notícia de insurgências por parte do Ministério Público ou de quaisquer outros interessados nos anos anteriores".

A decisão também lembrou que a ação do MPPE foi ajuizada às 22h57 do último dia 17, "o que igualmente milita em desfavor da ordem liminar requerida, ante a necessidade de enfrentamento de questões altamente complexas em curtíssimo espaço de tempo, as quais deverão ser melhor analisadas em sede de sentença de mérito, com cognição exauriente, após todo o procedimento de instrução processual".

Leia também:
MPPE solicita na Justiça suspensão do Guaiamum Treloso Rural
Prévia carnavalesca Guaiamum Treloso Rural 2018 está garantida
MPPE deve se posicionar sobre realização do Guaiamum Treloso Rural até quarta
Audiência pública esta segunda discute realização do Guaiamum Treloso Rural
MP vai vistoriar local da prévia Guaiamum Treloso Rural
Produção confirma realização do Guaiamum Treloso Rural 2018
Moradores de Aldeia se opõem à prévia Guaiamum Treloso Rural

O terceiro argumento dá conta da existência de outro evento similar que já conta com a anuência de todos os órgãos públicos interessados. Trata-se do evento Carvalheira na Ladeira, marcado para o período de 9 a 13 de fevereiro, em Olinda.

Moradores
Procurado pelo Portal FolhaPE, o Fórum Socioambiental de Aldeia afirmou que aceita e não vai discutir a decisão da Justiça. A organização, porém, pretende conhecer melhor o embasamento técnico da decisão visando futuros desdobramentos do caso.

"Foi o posicionamento do Ministério Público, que entrou com uma ação civil pública. Na velocidade da luz saiu a decisão da Justiça ideferindo-a", comentou o presidente do Fórum, Herbert de Tejo Pereira. "Fizemos nosso papel enquanto comunidade prejudicada."

A produção do Guaiamum Treloso Rural 2018 não foi encontrada para se pronunciar a respeito da decisão judicial.

Veja também

WhatsApp quer permitir que empresas façam vendas direto no aplicativo
Tecnologia

WhatsApp quer permitir que empresas façam vendas direto no aplicativo

Comitê do Senado aprova nomeação de juíza ultraconservadora para a Suprema Corte dos EUA
Mundo

Comitê do Senado aprova nomeação de juíza ultraconservadora para a Suprema Corte dos EUA