Investigação

Justiça mantém prisão de suspeito de matar torcedor palmeirense

Suspeito é agente penitenciário e trabalhava na escolta de presos

Torcedor do Palmeiras  foi baleado e morreu na tarde de sábado (12), após confusão envolvendo torcedores do PalmeirasTorcedor do Palmeiras foi baleado e morreu na tarde de sábado (12), após confusão envolvendo torcedores do Palmeiras - Foto: Nelson Almeida/AFP

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) de São Paulo confirmou, nesta segunda-feira (14), que o suspeito de matar um torcedor palmeirense nesse sábado (12) é agente penitenciário. No domingo (13) a Justiça de São Paulo converteu a prisão em flagrante do suspeito em prisão preventiva.

Em nota, a SAP diz que colabora com a investigação da Polícia Judiciária sobre o envolvimento de um agente de escolta e vigilância penitenciária na morte do torcedor.

“A Justiça determinou a manutenção da prisão do agente, e foi determinada pela SAP a instauração de apuração preliminar, estando o agente sujeito às penalidades impostas pela legislação,  sem prejuízo das consequências advindas do processo criminal. O agente atuava na escolta de presos na capital e região metropolitana e estava lotado na Penitenciária Feminina Sant' Ana”, diz a nota.

O torcedor morto tinha 40 anos e foi baleado e morreu na tarde de sábado (12), após confusão envolvendo torcedores do Palmeiras no entorno do estádio Allianz Parque, na capital paulista. O homem foi socorrido e levado a um hospital, mas não resistiu ao ferimento.

O crime ocorreu após derrota do Palmeiras por 2 a 1 para o clube inglês Chelsea, na final do Mundial de Clubes. O jogo foi disputado em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos.

Veja também

São João de Olinda de 2024: confira a programação da festa, que começa nesta quinta (20)
São João

São João de Olinda de 2024: confira a programação da festa, que começa nesta quinta (20)

Evangélicos entendem mudanças climáticas como resultado da ação humana
LEVANTAMENTO

Evangélicos entendem mudanças climáticas como resultado da ação humana

Newsletter