distrito federal

Justiça mantém suspensão de aulas presenciais na rede privada do DF

Aulas estão suspensas desde o dia 11 de março

Portão de escola fechado pela suspensão de aulasPortão de escola fechado pela suspensão de aulas - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O desembargador Pedro Luís Vicentin Foltran, do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), manteve hoje (12) sua decisão que suspendeu o retorno das aulas presenciais nas escolas da rede privada do Distrito Federal devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O magistrado negou recurso protocolado pelo Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal, que pedia a reconsideração da suspensão. 

Com a decisão, o retorno continua proibido até o julgamento de uma ação civil pública que está em tramitação na 6ª Vara do Trabalho de Brasília. As aulas estão suspensas desde 11 de março. 

 

 

No dia 6 de agosto, o magistrado atendeu ao pedido do Ministério Público do Trabalho (MPT) para impedir a retomada das aulas por entender que a medida coloca em risco os trabalhadores das escolas e pode contribuir para o aumento dos casos registrados de Covid-19. 

 

“No caso em tela, a possibilidade de risco à saúde dos trabalhadores nas escolas particulares  do  Distrito  Federal  com  o  retorno  das  atividades  escolares,  sem  que  seja estabelecido  previamente  os  protocolos  de  segurança  a  serem  adotadas  por  todas  as  escolas particulares  do  Distrito  Federal,  em  momento  em  que  não  apenas  nosso  país,  mas  todas  as nações vivem situação crítica de indefinição social e econômica em razão da pandemia por todos nós enfrentada, parece-me temerária”, afirmou. 

Veja também

Academias da Cidade retomaram aulas presenciais
Saúde

Academias da Cidade retomaram aulas presenciais

Sem surpresas, Trump faz de discurso na ONU outro palanque eleitoral para convertidos
internacional

Sem surpresas, Trump faz de discurso na ONU outro palanque eleitoral para convertidos