Justiça nega pedido da defesa de João de Deus para libertar o médium

Suspeito de abusar sexualmente de mulheres, João Faria está preso desde o último domingo

Joao Teixeira de Faria, conhecido médium João de DeusJoao Teixeira de Faria, conhecido médium João de Deus - Foto: Evaristo Sá/AFP

O desembargador Jairo Ferreira Júnior, do Tribunal de Justiça de Goiás, negou liminarmente nesta terça-feira (18) pedido para libertar João de Deus. O habeas corpus foi apresentado na véspera pelo advogado Alberto Toron, que representa o médium, suspeito de abusar sexualmente de mulheres.

O advogado informou que, como "apenas a liminar foi apreciada e negada", o julgamento final do habeas corpus deverá se dar após o recesso do Judiciário.
"Discordamos da decisão e vamos recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

João de Deus está preso desde o domingo (16) no núcleo de custódia do complexo de Aparecida de Goiânia. O conteúdo da decisão não foi divulgado, pois o processo é sigiloso.



Leia também:
Polícia faz operação de busca e apreensão em casa espiritual de João de Deus
Polícia investiga João de Deus por suposta venda de falsas pedras preciosas
João de Deus sob suspeita de lavagem de dinheiro
Justiça pode decidir sobre habeas corpus de João de Deus nesta terça

Veja também

UFPB firma convênio com universidade acusada de repressão na Belarus
Educação

UFPB firma convênio com universidade acusada de repressão na Belarus

Abu Dhabi oferece vacinas contra a Covid-19 aos turistas
Turismo da vacina

Abu Dhabi oferece vacinas contra a Covid-19 aos turistas