Coronavírus

Laboratórios da UFPE já produziram mais de 20 mil escudos faciais

Ampliação do projeto produzirá também divisórias de acrílico

Produção de EPIs na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)Produção de EPIs na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) - Foto: Divulgação

A produção de escudos faciais (face shields) no Centro de Artes e Comunicação (CAC) da UFPE, no Campus Recife, tem alcançado resultados positivos. Desde o início da pandemia da Covid-19, já foram produzidos 20.700 equipamentos de proteção por impressão 3D, destinados a profissionais de saúde em Pernambuco e a servidores da UFPE. Em breve, a ação entra na segunda fase, ampliando a produção com divisórias de acrílico e outras soluções de biossegurança para enfrentamento da crise sanitária.

O trabalho está sendo desenvolvido pelos Laboratórios Grea3D (Grupo de Experimentação em Artefatos 3D), vinculado ao Departamento de Expressão Gráfica, e LaCA²I (Laboratório de Concepção e Análise de Artefatos Inteligentes), do Departamento de Design. Estão à frente da empreitada os professores Sadi Seabra (Expressão Gráfica) e Walter Franklin Correia (Design).

“Já tivemos mais de 20 mil pessoas um pouco mais protegidas com esses escudos faciais, a maioria delas são pessoas que estavam trabalhando na linha de frente. Então, a gente pensa que esse trabalho impactou na diminuição do contágio deste vírus”, explica o professor Sadi Seabra. “O impacto é grande nesse sentido [de salvar vidas] porque uma vida salva não tem preço, então, a gente pode dizer que ajudou”, afirma o professor Walter Correia.

Os protetores faciais são doados a hospitais pernambucanos que atendem casos de Covid-19, inclusive o Hospital das Clínicas (HC) da UFPE. Servidores da Universidade que precisam atuar em atividades essenciais também podem receber os equipamentos de proteção, aumentando a segurança no ambiente de trabalho.

Os escudos faciais estão em produção desde o dia 25 de março de 2020, sem interrupções, no Grea3D e no LaCA²I. Neste período, os laboratórios têm contado com apoio institucional da UFPE, por meio das Pró-Reitorias de Extensão e Cultura (Proexc) e de Pesquisa e Inovação (Propesqi), além da antiga Pró-Reitoria para Assuntos de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesq). Os apoios externos vêm do Ministério Público do Trabalho (MPT), da Associação dos Docentes da UFPE (Adufepe), do Group SEB, do projeto Hígia nacional, do Laboratório Life/Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e de vários colaboradores makers.

Impressora 3D

SEGUNDA FASE – A iniciativa entra em sua segunda fase, em breve, com a vinda de novos aportes oriundos da associação entre várias instituições, via Fundação de Apoio ao Desenvolvimento (Fade) da UFPE. O valor será destinado a insumos e equipamentos.

O projeto, que passará a ser chamado de FabriCAC, continuará com a produção de face shields e desenvolverá outros produtos a serem utilizados no enfrentamento da pandemia, no contexto da retomada das atividades híbridas da UFPE, como os escudos de acrílico instalados em locais de atendimento ao público. Também está em estudo o espaçador de máscara, que poderá ser usado por estudantes de Música/Canto durante as aulas práticas. Com ele, o aluno poderá manter a máscara em uso sem que ela atrapalhe a performance de canto.

 

 

Veja também

Quase 80% das amostras de fevereiro sequenciadas eram da variante do Amazonas
Coronavírus em Pernambuco

Quase 80% das amostras de fevereiro sequenciadas eram da variante do Amazonas

Médicos da UFPE abrem teleconsulta de Covid-19 para crianças e adolescentes
Saúde

Médicos da UFPE abrem teleconsulta de Covid-19 para crianças e adolescentes