Larissa Manoela no Recife

Larissa Manoela, João Guilherme e Beli vão comer sushi após o show

Apresentação será no sábado (19), na Arena Pernambuco

 Germana: municípios contrataram advogados sem licitação Germana: municípios contrataram advogados sem licitação - Foto: Rafael Furtado

A confraternização da turminha teen mais querida do Brasil, formada por Larissa Manoela, João Guilherme e Beli, será em um restaurante japonês da cidade. Foi o pedido deles logo após o show da Arena de Pernambuco, que rola sábado (19), na festa Play Music Festival. Eles chegam no Recife um dia antes e ficam em hotel no bairro de Boa Viagem.

Em tempo: uma mega estrutura de palco, requisito básico para um show da turnê Outra Vez de Larissa Manoela, será montada no setor oeste do estádio para que a área do público fique toda sombreada na tarde do evento (16h). Todos os setores contam com banheiros e lanchonetes próprias e o estacionamento da arena também estará disponível.

Belli e João Guilherme vão jantar com Larissa Monoela em restaurante japonês após o show

Foto: Belli e João Guilherme vão jantar com Larissa Monoela em restaurante japonês após o show
Créditos: Divulgação

O frontstage, a área que permite ficar frente à frente com os ídolos, possui opção ingresso social. Funciona assim: adultos sem carteira de estudante compram por R$ 160 junto a doação de 1kg de alimento. A meia-entrada custa R$ 152. Os ingressos estão à venda nas lojas Claro e no site Eventim. Na bilheteria do Teatro Guararapes é possível comprar sem taxas. Os valores são:

Premium: R$164 (inteira) R$ 82 (meia)
Setor Oeste1: R$ 124 (inteira) R$62 (meia)
Setor Oeste 2: R$ 124 (inteira) R$ 62 (meia)
Deck: R$104 (inteira) R$52 (meia)
Front Stage: R$152 (meia-entrada) ou R$ 160+ 1kg de alimento (entrada social)
Camarotes: R$ 150 por lugar e só podem ser adquiridos em sua totalidade – 9 lugares 

Veja também

Em reta final, Trump e Biden levam luta eleitoral à decisiva Flórida
EUA

Em reta final, Trump e Biden levam luta eleitoral à decisiva Flórida

Denúncias contra direitos humanos podem ser feitas via WhatsApp
Redes Sociais

Denúncias contra direitos humanos podem ser feitas via WhatsApp