Laudo confirma o fenômeno maré vermelha em Muro Alto

A CPRH afirma que não há mais risco de contaminação para banhistas e pescadores da região

Muro Alto, uma das praias mais conhecidas de Porto de GalinhasMuro Alto, uma das praias mais conhecidas de Porto de Galinhas - Foto: Divulgação/Águila Comunicação

A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) confirmou que a mancha vermelha e os peixes mortos compreendidos na área de 100 metros de extensão da praia de Muro Alto, em Ipojuca, no Grande Recife, se tratavam do fenômeno natural chamado de maré vermelha. O laudo divulgado pela CPRH apontou a presença de floração de cianobactérias, o que já foi registrado no mesmo local em anos anteriores.

“A floração algal, geralmente sazonal e de caráter transitório, conduz ao crescimento destes organismos na coluna de água, resultando numa acentuada redução da transparência, coloração e frequentemente na presença de odor e sabor nas águas. Este fenômeno é, em geral, consequência do enriquecimento da massa d’água com nutrientes”, explica a Nota Técnica emitida pelo laboratório. 

De acordo com o engenheiro florestal e presidente da CPRH, Eduardo Elvino, não há mais risco de contaminação para banhistas e pescadores da região. “Por ser um fenômeno muito pontual e, pela própria natureza já o ter dissipado, as toxinas já não estão mais presentes naquela área. O consumo de peixes e o mergulho em Muro Alto já estão liberados”, declarou.

Com o alto nível de salinidade, a maré baixa e a presença de material orgânico, agentes da CPRH, a pedido da secretária de Meio Ambiente e Controle Urbano da Prefeitura de Ipojuca estiveram no local semana passada e levantaram a hipótese da maré vermelha, que ocorre nessas condições entre os períodos de março e outubro.

“Isso ocorre quando há um afloramento de algas marinhas que atingem seu pico de reprodução. Elas liberam uma toxina que tira o oxigênio da água, ocasionando a morte de peixes e crustáceos", explicou Elvino.

E é a própria natureza que se encarrega de diluir o evento natural, dependendo das condições climáticas e o nível da maré. Apesar de o nome se referir à cor vermelha, a coloração provocada por esses mini plânctons também podem aparecer na cor amarelada, alaranjado ou marrom.

Veja também

Brasil soma mais 26.979 novos casos e 432 mortes por Covid-19 nas últimas 24h
CORONAVÍRUS

Brasil soma mais 26.979 novos casos e 432 mortes por Covid-19 nas últimas 24h

Jovem de 18 anos é encontrada morta em cisterna de casarão em Jaboatão dos Guararapes, na RMR
Jaboatão

Jovem de 18 anos é encontrada morta em cisterna de casarão