Lenine participa de ensaios da abertura do Carnaval 2017 no Marco Zero

Cantor pernambucano que mora no Rio já está na cidade para a passagem de som ao lado de 13 nações de maracatu e da cantora baiana Virgínia Rodrigues

Lenine e Virgínia RodriguesLenine e Virgínia Rodrigues - Foto: Tatiana Meira/Folha de Pernambuco/Cortesia

Lenine já tinha sido convidado por Naná Vasconcelos por diversas vezes para participar da abertura do Carnaval de Pernambuco. Mas as agendas dos dois músicos nunca haviam coincidido. No ano passado, pela primeira vez, o cantor pernambucano radicado no Rio de Janeiro atendeu ao chamado do percussionista e tocou no show do Marco Zero, em que Naná comandava as nações de maracatu há 15 anos, no abre-alas da folia no Estado. Em 2017, após a morte do mestre, em março de 2016, Lenine está de volta, desta vez ao lado da baiana Virgínia Rodrigues e do Coral Voz Nagô, formado apenas por vozes femininas (e que Naná ajudou a criar em 2008).

Nesta terça (21), Lenine ensaiou ao lado de 13 nações de maracatu, entre elas Almirante do Forte, Encanto do Pina, Porto Rico e Leão de Cambinda. "Naná era um mestre, uma referência, ao lado de nomes como Airto Moreira, pela sua poliritmia. Vai ser difícil pela dor da perda de Naná, mas ao mesmo tempo é uma perpetuação do seu legado", confessa Lenine, que não se apresentava em Pernambuco desde novembro do ano passado, quando veio ao Teatro Guararapes pela turnê do disco mais recente, "Carbono".

Embora recorde que o que foi ensaiado acaba mudando na hora do show, o roteiro da participação do cantor tem pelo menos três momentos previstos: com duas composições de sua autoria, "Lavadeira do Rio" e "A Ponte", além de "Loa", criada por Naná Vasconcelos.


Veja também

Ex-policial Derek Chauvin é considerado culpado de todas as acusações pela morte de George Floyd
George Floyd

Ex-policial Derek Chauvin é considerado culpado de todas as acusações pela morte de George Floyd

Bruno Covas segue internado sem previsão de alta, dizem médicos
Câncer

Bruno Covas segue internado sem previsão de alta, dizem médicos