Leptospirose tem primeira morte confirmada este ano em Pernambuco

O boletim da doença em Pernambuco aponta que foram notificados 14 casos suspeitos, sendo seis casos confirmados, três descartados e cinco em investigação

Bactéria que causa a leptospirose pode ficar depositada no meio ambiente por seis mesesBactéria que causa a leptospirose pode ficar depositada no meio ambiente por seis meses - Foto: Divulgação

Pernambuco teve a primeira morte por leptospirose este ano. O caso foi registrado em Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR). O município ainda não foi notificado formalmente do óbito, segundo o superintendente de Vigilância em Saúde da cidade, Fábio Diogo. No entanto, as ações de bloqueio contra roedores foram tomadas desde a identificação do paciente com sintomas.

O boletim estadual de leptospirose aponta ainda que foram notificados 14 casos suspeitos, sendo seis casos confirmados, três descartados e cinco casos em investigação. As cidades com casos confirmados até agora são Camaragibe (2), na RMR; e Buenos Aires (2) e Pau­­dalho (1), na Mata Norte.

Leia também:
PE: Leptospirose persiste e fecha 2017 com aumento de casos
Risco de leptospirose aumenta com chuvas

A doença, provocada pela urina de ratos contaminados pela bactéria Leptospira interrogans, teve uma alta de 35,5% nas notificações e de 26,3% nos óbitos no último ano, na comparação com 2016. Durante todo o ano de 2017 foram 801 casos suspeitos, 197 confirmações e 24 mortes.

A elevação no padrão de adoecimentos vem acontecendo há dois anos. Para os especialistas, o fato está relacionado à recorrência das enchentes no Estado, ao acúmulo de lixo e à persistência - após as cheias - da bactéria, que pode ficar depositada no meio ambiente por até seis meses.

Veja também

Manifestantes preparam atos para caso Trump rejeite resultado das urnas
Eleições nos EUA

Manifestantes preparam atos para caso Trump rejeite resultado das urnas

'Meu retorno à Bolívia ainda não está programado', diz Evo Morales
América Latina

'Meu retorno à Bolívia ainda não está programado', diz Evo Morales