Lançamento

Livro analisa 'guerra às drogas' e discute soluções para o Brasil

Na obra "A Criminologia das Drogas", professor e advogado criminal Plínio Nunes faz uma análise de dados e avalia modelos adotados em outros países.

Professor e advogado criminal Plínio NunesProfessor e advogado criminal Plínio Nunes - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Criminalizados no Brasil, o consumo e o tráfico de drogas respondem por boa parte do encarceramento no País, que, historicamente, sofre com os altos índices de violência. O problema, de grande complexidade e permeado de intensos debates políticos, é revisitado em detalhes pelo professor e advogado criminal Plínio Nunes no livro “A Criminologia das Drogas”.

Na obra, Nunes, que é doutor em Direito Penal pela Universidade de São Paulo (USP), com mestrado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), e professor do Instituto Brasileiro de Ciências Jurídicas e Sociais (IBCJUS), faz uma análise dos dados de uma pesquisa sobre as políticas adotadas no Brasil e em outros países para o combate ao uso de substâncias ilícitas, dentro do que se considera como “política de guerra às drogas”.

O livro é resultado da tese de doutorado que o especialista apresentou na USP. “O primeiro eixo da pesquisa foi analisar os resultados dessa política de guerra às drogas, em termos de redução de consumo e de circulação, encarceramento, níveis de violência e mortes por overdose. E o segundo foi analisar outros modelos de abordagem adotados em outros países, especificamente, Estados Unidos, Uruguai e Portugal”, detalha.

Ao observar esses modelos, que incluem, no caso de alguns locais nos EUA e do Uruguai, a legalização da maconha e, no caso de Portugal, a descriminalização das drogas, o professor defende que o problema seja analisado sob o ponto de vista da saúde pública, e não apenas da repressão.

“No final da tese, eu até proponho as bases de um possível modelo diferenciado de abordagem, partindo do pressuposto de que a guerra às drogas efetivamente fracassou. O objetivo declarado era tentar proteger a saúde das pessoas, criminalizando o comércio e o uso, ainda na década de 1960. Mas, desde então, em vez de assegurar a proteção, ela aumentou os níveis de violência, principalmente aqui no Brasil, com altas taxas de letalidade policial”, argumenta.

O livro “A Criminologia das Drogas” está sendo lançado pela editora Tirant Lo Blanch Brasil e disponível nas principais plataformas de venda on-line.

 

Veja também

Vacina anticovid da Astrazeneca aprovada pela UE para terceira dose
Coronavírus

Vacina anticovid da Astrazeneca aprovada pela UE para terceira dose

Província chinesa impõe teste anticovid a cada 48 horas para 99 milhões de habitantes
Coronavírus

Província chinesa impõe teste anticovid a cada 48 horas para 99 milhões de habitantes