Loja de artesanato será inaugurada com objetos produzidos por detentos

Peças produzidas por detentos de cinco presídios do Estado estarão à venda na loja, em Itamaracá

Artesanato produzidos por detentosArtesanato produzidos por detentos - Foto: Divulgação/Seres

Nesta terça-feira (30), a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), inaugura, através da gerência de Produção, a loja “Seres Artesanato”, às 10h. A loja, localizada no Engenho do São João, em Itamaracá, vai vender produtos feitos por reeducandos do sistema prisional de Pernambuco. Na cidade, as atividades de agricultura e pecuária já são realizadas por detentos do regime semiaberto da Penitenciária Agroindustrial São João (PAISJ).

A loja funcionará de quinta a domingo, das 9h às 17h, o atendimento será feito por uma reeducanda da Colônia Feminina de Abreu e Lima. Estarão presentes na abertura da loja, o secretário-executivo de Ressocialização, Cícero Rodrigues, o gerente de Projetos e Convênios/Seres, Walfrido Uchoa, também responsável pelo Engenho do São João, gerentes da Seres e convidados. São mais de 50 tipos de trabalhos artesanais. Produzidos por detentos de cinco presídios do Estado, os trabalhos estarão expostos para o público em geral e a instituições interessadas.

"Os detentos têm acesso à atividade produtiva, melhor saída para a ressocialização, salário para ajudar a família, convívio social e prestam uma importante contribuição ao patrimônio histórico do Estado", disse o secretário Cícero Rodrigues.

Leia também:
Ex-presidiário é preso com espadas ninjas após furtar casa de veraneio em Itamaracá
Emprego formal tem saldo negativo em março em Pernambuco

A reforma na loja seguiu uma ideia de preservação arquitetônica, pelo fato do Engenho São João levar em sua história o local de nascimento do abolicionista João Alfredo. Entre as atividades produzidas no Engenho São João estão a plantação da macaxeira, banana, graviola, maracujá, ervas medicinais, a criação de porcos, camarão e tilápias. Todas essas funções são exercidas por reeducandos, que em troca recebem um salário mínimo, e destinam 25% ao pecúlio (reserva de dinheiro) a ser liberado após a liberdade.

Veja também

Novo apagão atinge cidades do Amapá
BLECAUTE

Novo apagão atinge cidades do Amapá

Brasil aplica mais de 1,7 milhão de vacinas contra Covid em 24h
MARCA

Brasil aplica mais de 1,7 milhão de vacinas contra Covid em 24h