Emmanuel Macron

Macron anuncia "coalizão" de países para envio de mísseis de maior alcance à Ucrânia

Macron garantiu que o envio de tropas "foi mencionado entre diferentes opções"

Emmanuel Macron, presidente da FrançaEmmanuel Macron, presidente da França - Foto: Geoffroy VAN DER HASSELT / AFP

O presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou, nesta segunda-feira (26), a criação de uma coalizão para enviar munições e mísseis de maior alcance à Ucrânia e afirmou que não se deve descartar o envio de tropas ocidentais para a ex-república soviética para conter o avanço russo.

"Atualmente, não há consenso sobre o envio de tropas [...], mas não devemos descartar nada. Faremos tudo o que for necessário para garantir que a Rússia não vença esta guerra", declarou Macron após uma reunião com cerca de vinte líderes europeus em Paris.

A nova coalizão fornecerá "mísseis e bombas de médio e longo alcance" à Ucrânia, acrescentou, insistindo que "a derrota da Rússia é indispensável para a segurança e estabilidade na Europa".

Macron garantiu que o envio de tropas "foi mencionado entre diferentes opções", mas não quis dar detalhes sobre a posição da França, afirmando assumir essa "ambiguidade estratégica".

Questionado após a reunião realizada no Palácio do Eliseu, o primeiro-ministro neerlandês, Mark Rutte, afirmou, no entanto, que a questão do envio de tropas não fez parte da ordem do dia.

Macron insistiu que os aliados da Ucrânia não estavam "em guerra com o povo russo", mas que, "simplesmente", não querem "deixá-los ganhar na Ucrânia".

Os líderes ocidentais reconhecem o risco de uma possível vitória da Rússia no conflito em 2024, no momento em que a Ucrânia está ficando sem armas e munições. Kiev lamenta o atraso no fornecimento do armamento prometido.

Veja também

Lembra quando Bolsonaro era o fascista?', questiona filho de John Lennon, Sean Ono
Política

Lembra quando Bolsonaro era o fascista?', questiona filho de John Lennon, Sean Ono

Estudo indica que bonobos são mais agressivos do que se pensava
Bonobos

Estudo indica que bonobos são mais agressivos do que se pensava

Newsletter