Crise da Ucrânia

Macron, 'extremamente preocupado' com segurança das usinas nucleares na Ucrânia

Presidente irá propor medidas para a garantia de segurança das usinas nucleares da Ucrânia

Presidente francês, Emmanuel MacronPresidente francês, Emmanuel Macron - Foto: Ludovic Marin / Pool / AFP

O presidente francês, Emmanuel Macron, está "extremamente preocupado com os riscos" que "a invasão russa" pode trazer para a segurança das usinas nucleares na Ucrânia e proporá "medidas concretas" para reduzi-los, anunciou nesta, sexta-feira (4), a Presidência francesa em um comunicado.

"Rússia e Ucrânia devem encontrar um acordo" com base nestas propostas, que se vinculam aos critérios da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), para "assegurar juntas a preservação da segurança" destas usinas, acrescentou.

Na madrugada de sexta-feira, projéteis russos impactaram a usina nuclear ucraniana de Zaporijia, a maior da Europa, provocando um incêndio sem consequências nos níveis de radioatividade, mas que paralisou o mundo diante do temor de uma nova catástrofe atômica.

As tropas russas assumiram o controle da região onde fica a usina, a 150 km da península da Crimeia.

Macron "condenou firmemente" este ataque e instou a Rússia a "garantir um acesso livre, regular e sem obstáculos ao pessoal das instalações, para garantir a continuidade de sua exploração com total segurança".

Veja também

Os possíveis candidatos para substituir Boris Johnson
Reino Unido

Os possíveis candidatos para substituir Boris Johnson

Boris Johnson, três anos turbulentos no poder
Reino Unido

Boris Johnson, três anos turbulentos no poder