Maior hospital provisório do Recife já está em funcionamento

A unidade terá 420 leitos para pacientes da Covid-19

Hospital Provisório Recife 2Hospital Provisório Recife 2 - Foto: Andrea Rego Barros / PCR

No bairro dos Coelhos, região central do Recife, uma unidade hospitalar com 420 leitos reforça o combate ao novo coronavírus. A abertura do Hospital Provisório Recife 2, maior hospital campanha construído na cidade, foi anunciada pela Prefeitura do Recife nesta quarta-feira (22).

A abertura da unidade, que estava prevista para a próxima semana, foi adiantada já com 50 leitos disponíveis para atendimento. Destes, são 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 30 leitos de enfermaria. Sua estrutura de mais de 8000m² terá um total de 420 leitos, sendo 100 de UTI e 320 de enfermaria, que serão abertos gradualmente, até o pleno funcionamento da unidade. De acordo com Geraldo Júlio, a decisão de abrir novos leitos foi crucial.

Leia também:
'Se simularmos o que aconteceu em outros países, Recife poderia ter mais de 1.000 mortes', afirma Geraldo Julio
Prefeitura do Recife anuncia novo corte de despesas de R$ 50 milhões

“Logo no início da pandemia a gente partiu para a criação de novos leitos de UTI e de enfermaria para a internação de pacientes da Covid-19. Essa decisão se mostrou acertada, porque 18 dias depois nós já tínhamos pacientes internados em UTI e entubados em leitos que haviam sido criados após a decretação de pandemia”, salientou. 

A cidade conta atualmente com 305 leitos abertos para os pacientes - 70 de UTI e 235 de enfermaria. Até a manhã desta quarta, havia 39 pacientes nas UTIs e 84 pacientes nas enfermarias criadas pela Prefeitura do Recife para pessoas com a Covid-19. No Hospital Provisório Recife 2 serão recebidos apenas os pacientes encaminhados pela Central de Regulação, contribuindo para desafogar a rede de leitos de todo o Estado durante esta pandemia.

O secretário de saúde do Recife, Jailson Correia, salientou que a abertura deste novo hospital afasta a possibilidade de colapso na rede de saúde. “Enquanto há capacidade de expansão rápida de leitos de enfermaria e, principalmente, de leitos de UTI, nós estamos colocando para frente qualquer risco de colapso”, contou.

Ainda de acordo com Jailson, os avanços realizados na área de saúde na cidade não são exclusivos para o momento da pandemia. Apesar dos hospitais provisórios contarem com estruturas sazonais, por conta do curto período para seu planejamento e construção, os equipamentos hospitalares irão reforçar a rede de saúde pública do Recife no futuro. “É lógico que todos os equipamentos, o parque de equipamentos, as camas hospitalares, os respiradores, os monitores, toda a mobília, por exemplo, adquirida para estes novos hospitais, será utilizada para um aprimoramento da rede no futuro. Então, nada disso será desperdiçado. Pelo contrário, vai nos ajudar a ter uma rede mais robusta, passada a pandemia”, salientou.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

Veja também

Recife volta a adiantar aplicação de segunda dose de Astrazeneca para o intervalo de 60 dias
Vacinação

Recife volta a adiantar aplicação de segunda dose de Astrazeneca para o intervalo de 60 dias

Recife oferece mais dois pontos itinerantes de vacinação contra a gripe
SAÚDE

Recife oferece mais dois pontos itinerantes de vacinação contra a gripe