Migrantes

Mais de 10 mil migrantes cruzam o Canal da Mancha para o Reino Unido desde janeiro

Sete embarcações com 374 pessoas a bordo chegaram ao Reino Unido no último sábado (17)

Policial observa chegada de embarcação no sul da Inglaterra com migrantes resgatados que tentavam cruzar o Canal da Mancha.Policial observa chegada de embarcação no sul da Inglaterra com migrantes resgatados que tentavam cruzar o Canal da Mancha. - Foto: en Stansall/ AFP

Mais de 10 mil migrantes foram detectados ao cruzar o Canal da Mancha em embarcações precárias desde o início do ano, segundo dados publicados neste domingo (18) pelo Ministério do Interior britânico.

Sete embarcações com 374 pessoas a bordo chegaram ao Reino Unido no sábado, de acordo com um balanço diário publicado pelo governo. Desde janeiro, 10.139 migrantes chegaram ao país por esta via.

O número é inferior ao registrado no mesmo período do ano anterior.

Mas, depois de várias semanas com condições meteorológicas adversas, as travessias tentaram a aumentar nos últimos diasológicas.

Mais de 2.500 pessoas chegaram à costa britânica entre 10 e 17 de junho, segundo a mesma fonte. Ao longo de 2022, as autoridades registraram mais de 45.000 travessias, um número recorde.

O governo conservador fez do combate à imigração irregular uma de suas prioridades.

O Executivo assumiu uma lei no ano passado que permite que solicitantes de asilo sejam enviados para Ruanda, embora, no momento, a lei esteja bloqueada pela Justiça.

Outro projeto de lei controverso planeja impedir que migrantes que chegam ao Reino Unido pelo Canal da Mancha solicitem asilo.

Londres também assinou uma série de acordos com países como França e Albânia para conter a imigração irregular.

Veja também

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"
POSICIONAMENTO

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu
GUERRA

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu

Newsletter