Mais de seis mil brasileiros vão votar na Argentina neste segundo turno

Na Embaixada do Brasil, foram instaladas oito urnas eletrônicas

No primeiro turno pouco mais de 3 mil eleitores brasileiros votaram na ArgentinaNo primeiro turno pouco mais de 3 mil eleitores brasileiros votaram na Argentina - Foto: Monica Yanakiew/Arquivo Agência Brasil

Na Argentina, 6.210 eleitores vão votar neste domingo (28), a maioria em Buenos Aires, a capital, onde serão instaladas oito urnas eletrônicas na sede da Embaixada do Brasil. No primeiro turno, apenas o equivalente à metade dos eleitores – 3.199 – votou.

A eleição presidencial do Brasil é acompanhada atentamente na Argentina – principal sócio comercial na região. O ministro das Relações Exteriores da Argentina, Jorge Faurie, disse que o resultado do primeiro turno foi tema na reunião de gabinete do presidente Mauricio Macri. “A Argentina quer que o vitorioso de hoje seja o que permita consolidar sua democracia, a institucionalidade e a economia.”

Macri chegou a telefonar para o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro. O brasileiro disse que, se eleito, irá à Argentina para intensificar as relações. Desde que assumiu em dezembro de 2015, com a promessa de tirar a economia argentina da estagnação, Macri acompanha a política brasileira. Ele observou os desdobramentos do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, as denúncias de corrupção e a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em abril.

Leia também:
Barroso diz que quem ganhar eleições terá que respeitar regras do jogo
Bolsonaro entra com ação no TSE contra Haddad
Secretário de Tecnologia do TSE reitera segurança das urnas eletrônica
Leandra Leal, Paulo Betti e outros famosos pedem voto a Haddad em SP e no Rio
TSE vai investigar decisões sobre fiscalização em universidades


A Argentina depende da estabilidade politica e econômica brasileira, em meio a uma crise econômica, com previsão de encolher 2% este ano, enquanto a inflação deve ultrapassar os 40%. Macri tem o desafio de fazer o Senado aprovar o Orçamento de 2019 (que prevê um forte ajuste). O presidente argentino se comprometeu com o Fundo Monetário Internacional (FMI) a zerar o déficit fiscal no ano que vem, em troca de uma linha de crédito de US$ 56,3 bilhões.

Veja também

Com salas cheias, candidatos foram impedidos de fazer Enem
Enem 2020

Com salas cheias, candidatos foram impedidos de fazer Enem

Enfermeira é primeira brasileira vacinada contra a Covid-19 em solo nacional
Vacina

Enfermeira é primeira brasileira vacinada contra a Covid-19 em solo nacional